you make me feel invisible.

290 53 31

n/a: toda vez eu falo pra ouvir a música da mídia, mas dessa vez é sério! haha boa leitura 💞

 n/a: toda vez eu falo pra ouvir a música da mídia, mas dessa vez é sério! haha boa leitura 💞

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

•••

Capítulo único

Ele amava tudo o que fazia.

A premissa parece um pouco exagerada, mas não, eu falo sério. Já adianto que não se trata de fugacidade, de apego instantâneo e, em seguida, descarte do objeto de desejo, a palavra que define Jung Hoseok é intensidade.

Não importa se estamos falando da sua turma de street dance iniciante, da de break avançado, do macarrão pré-cozido que ele vai preparar para o jantar, da plantinha que ele rega no parapeito da janela, dos livros organizados na sua estante, do jeito como veste sua toquinha amarela, da roupa que ele estende no varal para secar. Ele colocava amor em todas as coisas, e isso estava estampado no seu sorriso, o melhor sinônimo material e brilhoso para representar cuidado.

O sorriso que ostentava quando fazia todas aquelas coisas se chamava cuidado

Ele tinha esse cuidado com as pequenas coisas cotidianas, quase sempre insignificantes e executadas como um ritual pelos os outros, para ele era  como se fossem únicas, seja preparar um café  e servir nas xicrinhas especiais da sua falecida avó; mesmo que fosse só um café da manhã corrido de uma quarta-feira, seja ensinar a mesma pirueta pela centésima vez como se fosse a primeira; como se fosse a primeira turma do dia e não última; como se seus ombros já não estivessem doloridos e as pernas cansadas. Junto da xícara de café, da pirueta, lá estava o sorriso. 

Mas isso não era só com as pequenas coisas, o cuidado transparecia ainda mais quando falamos das grandes. E com coisas grandes quero dizer aquilo que todos tentamos ser bem sucedidos, o amor romântico. O ideal de amar e ser amado.

E lá vem uma pequena história de como eu persegui esse ideal invisível até chegarmos às grandes coisas.

Quando eu conheci Hoseok eu já sabia que ele era intenso, mesmo que na época só tenha interpretado como insistência e falta de "simancol". Afinal, quem fica pendurado no ouvido de uma garota por quase duas horas ouvindo ela fazer pouco caso de você, dos seus esforços, dos seus amigos, da festa, de tudo? Quem consegue ser insistente o suficiente para ver conteúdo em alguém como eu na  época da faculdade? Bem, o Hoseok conseguiu, mas, mesmo assim, não conseguiu nem um beijo no rosto aquela noite.

Eu era muito e ele não era tanto, assim eu pensava, porque não conseguia ver além das suas roupas esquisitas, da sua beleza que estava fora do meu padrão fútil e limitado, e dos seus amigos aleatórios, alguns nerds, outros populares demais, era um grupo estranho e eu achava que merecia mais, mesmo sem nem conhecê-lo.

Invisível • Jung HoseokLeia esta história GRATUITAMENTE!