9.1 || INSTAGRAM

126 9 5

Acordei na manhã seguinte, ele ainda estava ali dormindo calmo ao meu lado, eu estava feliz, mas os olhinhos inchados dele me doíam o coração, passei a mão pelo seu rosto e lhe deixei um beijo na bochecha, olhei o relógio, 10h30, levantei e decidi que faria o café da manhã pra nós.

Abri a porta e esbarrei em Harry, que vestia apenas sua bermuda.

-Bom dia flor do dia!- ele disse.

-Dormiu aqui?!- ri com meus pensamentos e fui indo em direção a cozinha, Hazz veio atrás.

-Você sabe que sim!- ele deu a língua.

-Harry, eu...- Manu me viu e corou, ela vestia apenas uma camisola, e eu sabia disso pq era claramente visível que por ali não havia mais nada além.

-Seus cachorros!- eu ri. -Vocês estão juntos não é? Ah, meu Deus, eu serei vela mais uma vez!- fiz careta.

-Namorados, pra sermos mais exatos!- Manu sorriu e eu sorri pra ela, ela estava feliz e isso me deixa feliz.

-E parece que não será vela por muito tempo considerando que tem alguém na sua cama nesse momento!- Harry disse.

-Somos só amigos, vocês dois sabem! E eu estou tão feliz por vocês! -sorri e eles se abraçaram.

-Amigos que se amam além da amizade, sim nós sabemos!- Manu ficou ao lado de Harry e ele a deu um selinho.

-Ok, isso é extremamente novo pra mim, vocês são meus melhores amigos, seus putos, e vocês nem me contaram!- eu ri, estava feliz por eles.

-Ele pediu ontem, e agora você sabe!- Manu riu.

-Agora não precisamos mais fingir pra ela, e ela com certeza vai trancar o quarto agora! -Harry riu.

-Vocês não... Oh meu Deus, no meu quarto não!- eu os olhei incrédulo. -Ok, isso foi demais pra mim, nada de café pra mim hoje! -eles riram, peguei duas maçãs e fui voltando para o quarto. -NÃO TRANSEM NO MEU SOFÁ! -pude ouvir um xingamento antes de entrar no quarto e ri.

Justin ainda dormia, coloquei as maças na escrivaninha, e me deitei novamente ao seu lado.

Ele logo me puxou pra perto dele, meu nariz quase tocava o seu.

-Bom dia!- ele me olhou nos olhos e sorriu meu coração acelerou.

-Estava acordado!- sorri sentindo meu corpo arrepiar com o toque de suas mãos em minha cintura.

-Você fala alto! -ele sorriu e eu também.

-Você está bem?- perguntei e por impulso coloquei uma de minha mãos em sua bochecha a acariciando, sentir sua pele me dava choques de eletricidade.

-Impossível não estar bem quando a primeira pessoa que vejo ao acordar é você!- ele foi sincero eu podia sentir, meu corpo reagia a tudo que viesse dele, era inevitável o que ele me causava.

Sorri pra ele e me soltei dos seus braços sentando na cama, eu estava tonta.

-Trouxe maçã, quer dizer, ia fazer algo melhor, mas fui traumatizada por Harry e Manu, nem pergunte o por que!- fiz uma careta pensando no que eles fizeram na minha preciosa cama.

-Acho melhor eu ir para casa, não quero atrapalhar você, seus amigos estão aqui...- o interrompi.

-Você jamais me atrapalharia Jus!- disse.

Ele sorriu e ficamos nos olhando em silêncio por um longo momento, seus olhos mesmo inchados eram lindo, ele é lindo, sempre foi, não há dúvidas, sua boca, sinto uma vontade absurda de juntar a minha, desejo ter ele, é como se apenas nos existissemos é o nosso mundo. Ele aproxima seu rosto do meu e involuntariamente faço o mesmo, posso sentir sua respiração, ele fecha os olhos e me puxa pela cintura, me sinto tonta, meu corpo se arrepia inteiro, e ele me beija, É melhor do que eu lembrava, sua boca macia em contato com a minha faz meu estômago se encher de borboletas, sinto calafrios a cada vez que sua mão desce até a minha bunda, ele a aperta e me puxa para o seu colo, o beijo se torna mais quente, minhas mãos arranham suas costas, eu sequer pensei em colocá-las lá, é tudo tão natural com ele, ele começa a beijar meu pescoço me fazendo arrepiar é o desejar mais, o que pra mim seria impossível, acordo do transe e saio de seu colo.

-Me.. Me desculpa, é me desculpar!- falo sem fôlego. O que ele faz comigo é louco, ele me tira de mim.

-Desculpa, é.. Acho melhor eu ir agora!- ele diz sem graça e se levanta.

-Fica!- fico triste, não quero que ele vá. Ele me olha.

-Não quero te forçar a nada que não queira, perdão pelo beijo...

-Não forçou, só.. fica aqui!-sentei na cama querendo chorar, como sempre.

Ele se sentou ao meu lado e me abraçou.

-Pelo tempo que você quiser! -beijou minha testa.

INSTAGRAM - JBLeia esta história GRATUITAMENTE!