Capítulo 27

7.2K 843 1.5K

Aviso Pessoal, eu sei que estou demorando a postar os capítulos mas estou tendo dificuldade de atualizar todos os dias como antes

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Aviso
Pessoal, eu sei que estou demorando a postar os capítulos mas estou tendo dificuldade de atualizar todos os dias como antes.  Não vou abandonar a história, porém os capítulos não sairão todos os dias como antes, até eu conseguir organizar a minha vida aqui.

Sem revisão

Norah

Estou na banheira, as bolhas perfumadas encobrem o meu corpo, pego um punhado nas mãos e assopro, a espuma flutua pelo ar, dou um sorriso. Passei o dia inteiro na suíte, após o almoço, que me foi trazido no quarto, eu dormi quase a tarde toda, não me arrisquei sair dali, não quero encontrar ninguém, a solidão sempre foi minha companhia e sempre será.

Enrico não apareceu ainda, não faço a mínima ideia de onde ele está ou o que está fazendo, mas também não me importo, com certeza não deve está fazendo alguma coisa boa. Respiro fundo, decido sair da banheira, pego um roupão e visto, sigo para o closet, escolho peças íntimas e roupas confortáveis, não sei quais são os planos do Enrico para hoje à noite, provavelmente vamos passar a noite toda transando, como sempre, percebo que essa expectativa não me desagrada, eu anseio por isso.

Crispo as mãos em desagrado, odeio sentir isso, gostaria que meu corpo não correspondesse a ele dessa maneira, mas só de pensar nele já me deixa molhada.

— Droga! — verbalizo com indignação

Eu preciso me controlar, não posso demonstrar esse desejo sexual que tenho por ele, esse homem não merece, eu preciso demonstrar frieza.

Decidida, me vesti e sentei no sofá para esperá-lo. Não há nada aqui para me distrair, um rádio, uma Tv, até mesmo um livro. Vou perguntar ao Entico se posso ter livros, sempre gostei de ler e essa pode ser uma excelente oportunidade de conhecer novos gêneros literário. Escuto o baralho da porta e logo Enrico adentra o cômodo, me levanto, porém fico no mesmo lugar, torço as mãos uma na outra um tanto nervosa, preciso demostrar frieza e ser cautelosa, não quero que ele perceba meu estado de espírito.

Enrico fecha a porta em um estrondo, dou um pulo, ele vira-se  pra minha direção e me olha intensamente, fico nervosa, quando ele me olha assim parece que está desnudando a minha alma, me sinto frágil, exposta ao olhar penetrante, resolvo falar alguma coisa para quebrar essa tensão.

— Oi, como foi o seu dia?

Ele não mudou sua expressão, nem ao menos saiu do lugar, mantinha seus olhos fixos em mim, senti algo ruim, um sentimento sombrio, meu coração deu um baque, será que ele sabe de alguma coisa? Me pergunto já com com o medo tomando conta de mim. Ele se move e começa a andar em minha direção, sua aparência é deslumbrante, está vestido todo de preto como sempre, mas a elegância do traje o faz único. Ele usa um suéter de gola alta, calça de brim preta elegante e sapatos italianos brilhante. O sobretudo longo completava o look. Respirei fundo, ele é tão lindo, meu corpo já o reconheceu.

Sob o Jugo do Mafioso +18 concluído Leia esta história GRATUITAMENTE!