Capítulo 34 - Troca

419 75 78

Tive alguns problemas com o capítulo. O revisei três vezes e em todas, perto do fim, meu Wattpad fechava e quando retornava, o capítulo estava com todos os erros anteriores.
Essa é a quarta vez e eu já estou cansada kkk, então não o revisei muito bem. Qualquer erro me avisem!
Espero que gostem!

~**~

Ok, eu esperava o dia em que aquilo fosse acontecer. O dia em que eu finalmente entraria em curto circuito e teria uma pane daquelas no cérebro. Me surpreendia por ter demorado tanto tempo. Sinceramente, depois de descobrir ser a escolhida de uns deuses bastante preguiçosos, para traçar missões suicidas em prol de um mundo totalmente alheio a minha realidade, esperei entrar em modo loucura total por diversos motivos. Talvez com o surgimento cada vez mais frequente de seres até então apenas místicos ou em uma das batalhas que exigiam mais do que eu podia oferecer. No entanto, nunca pensei que isso aconteceria por causa de Julie, até então, apenas a garota mimada e implicante da escola.

As palavras de Don fizeram um eco na minha cabeça, eu não consegui formular nenhum questionamento. Sua protegida... O que será que ele quis dizer com isso? Que Julie era minha guardiã? Não sabia se era verdade, mas já estava sendo difícil de digerir. De repente, minha cabeça rodou, algo ampliou-se bruscamente dentro de mim, como uma energia fria expandindo-se rápido demais para registrar. Um click estalou em meu ouvido como se um elástico tivesse partido e eu caí para frente. Fui amparada por Benjamin segundos antes de acertar o chão e a partir daí tudo ficou embaralhado demais para compreender.

Eram apenas borrões que deveriam ser rostos, atrelados a ruídos pesados que deveriam ser vozes, até que tudo ficou escuro. Recuperei minha consciência um tempo depois, em um quarto luxuoso, banhado a ouro e pedras preciosas, o que não deveria ser uma surpresa. A cama onde eu estava possuía o mesmo tom dourado, as cortinas abertas deixavam um pouco do vento entrar, mas eu estava ensopada de suor.

- Essa foi uma péssima ideia! Ela poderia ter morrido! – virar rapidamente o rosto fez pontos pretos atravessarem minha visão. - Eu sei que é o chefe, mas sou obrigado a dizer que deveria ter sido muito mais responsável.

Don e um homem idoso estavam parados próximos a uma mesinha lotada de frascos e utensílios desconhecidos.

- Sacerdote, sabe que fiz porque era preciso. Foi uma questão de desespero e... – eles notaram meus olhos abertos. Foi impossível não perceber o alívio no rosto de ambos.

- Que bom que acordou, já estava ficando preocupado. – Don ergueu uma sobrancelha – Precisamos parar de nos encontrar sempre nessas situações, senhorita Hailey. Nem sempre poderei trazê-la de volta aos vivos.

Queria sorrir, achar graça daquela ironia, já que nosso primeiro encontro tinha sido perto da minha morte – por culpa exclusivamente dele – exatamente como acontecia ali. Mas não consegui.

- O que aconteceu comigo? Onde estão meus amigos? – minha garganta ardeu como se eu tivesse feito gargarejo com pedras. Engoli com dificuldade. – Me sinto como se tivesse acabado de ser mastigada por um urso e depois cuspida... talvez até pisoteada no final. – murmurei, tentando evitar a dor, mas não estava adiantando. – As meninas estão bem? – quando me lembrei disso tentei me levantar, a sala foi tomada por quatro versões de Don e do sacerdote, então fui obrigada a voltar para meu lugar.

O sacerdote se aproximou rapidamente, a túnica branca voava ao seu redor como um jaleco de hospital aberto, cobrindo os trajes dourados debaixo. Ele trazia uma prancheta em mãos e puxou um objeto triangular do bolso quando parou ao meu lado. Encostou-o em minhas têmporas e poucos segundos depois, o observou com atenção.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!