Capítulo 32 - Dúvidas

308 53 24

Maya

- Você é péssima nisso! – Peter repetiu pela milésima vez desde que começamos aquele trabalho.

- Pelo menos sou melhor com a espada do que você com esse seu corpo magrelo. – rebati, largando a bacia cheia de massa de pão em cima do balcão. Na verdade, larguei a substância gosmenta que era para ser massa de pão.

- Sou incapaz de não concordar. – Garret murmurou de onde estava. Peter abriu os braços indignado.

- Eu sou o foco de vocês hoje? – foi impossível não sorrir – Ande logo, me dê isso! Deixa eu ver se transformo essa gororoba em algo comestível.

Passei a tigela para ele e em seguida tirei o avental. Minhas unhas estavam um caos com toda aquela massa, por isso fui logo lavá-las.

Desde que Hailey saíra em missão as coisas ficaram cada vez mais chatas. Os dias ali, no castelo, eram monótonos e sem graça, não sabia como minha amiga aguentava. Fran e Ágatha lidavam com todas as questões do palácio que pareciam infindáveis, era assustador como todos os dias surgia alguém da vila para relatar um problema. Eu estava cansada apenas de ouvir. Aliás, todos estavam animados com o recente relacionamento da sereia com Alec, ambos haviam chegado pela manhã com a novidade. Aquilo era uma surpresa para todos, Alec já havia demonstrado algum interesse, mas Ágatha parecia tão inalcançável que até eu não acreditava muito no êxito dele. Parece que eu estava errada.

Após voltarem do Conselho, onde eu soube que acontecera mais uma prisão pelos ataques à Chidiyon, Alec foi falar com o Comandante enquanto Ágatha se trancava no quarto com Fran. Ao sair de lá a dama estava emocionada e nos contou que os dois tinham finalmente se entendido, mas que era melhor sermos discretos.

Garret achou que seria bom fazer um lanche caprichado, claro que não iríamos fazer uma festa por causa do namoro dos dois, mas era bom poder fingir que implicitamente havia ali uma comemoração. Foi aí que o cozinheiro teve a brilhante ideia de tentar criar pratos do mundo humano, Peter não perdeu tempo em pedir para ajudar. Talvez querendo reviver lembranças dos seus dias na cozinha do restaurante dos seus pais ou apenas matar a saudade de pôr as mãos na massa. Eu não sabia, mas ele estava bem animado. Como esperado, Garret adorou a ideia e como eu não tinha nada para fazer, decidi fazer o mesmo e auxiliá-los, mas as coisas não saíram como planejado, logo ficou óbvio que eu estava sobrando. Enquanto Peter e Garret entendiam-se e faziam belos pratos, eu me atrapalhava até com os ingredientes de uma simples massa de pão.

- Não precisa ser tão cruel comigo, eu sei cozinhar algumas coisas. Esse pão que não é tão fácil de fazer. – rebati, enxugando minhas mãos.

- Tipo o que? – Peter debochou, adicionando um monte de coisas irreconhecíveis no meu projeto de massa. Me calei por um instante.

- Ok, eu não sei cozinhar nada. – admiti - Mas não é culpa minha se meus pais têm empregados para fazer tudo dentro daquela casa. Como eu poderia aprender? – cruzei os braços, meio ofendida, mas não era exatamente com Peter, era só pelo fato de perceber o quanto minha vida era sem graça e inútil. Eu odiava parecer a patricinha mimada, fútil e principalmente burra do grupo.

Peter me mostrou um sorriso compreensivo.

- Me desculpe, May. – pediu - Não precisa ficar assim. Cada um de nós leva jeito para alguma coisa diferente, temos talentos únicos. Sei o quanto é talentosa com as coisas fora da cozinha. – disse para me tranquilizar e conseguiu, me senti melhor imediatamente.

Como sempre toda aquela atenção e compreensão de Peter mexeu comigo. Odiava seu jeito doce e meigo de ser, porque isso tornava mais difícil esquecê-lo. Já tínhamos passado bastante tempo juntos e enfrentado coisas inimagináveis. Porém ao contrário das minhas expectativas, eu não conseguia impedir meus sentimentos de crescerem cada vez mais, muito menos tomar coragem para falar sobre eles de uma vez. Claro, nossa amizade estava em jogo e eu tinha medo das consequências. Talvez se eu soubesse que seus sentimentos por mim fossem diferentes...

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!