Descobertas & Garotas

Começar do início
                                    

          — Não, dessa vez eu estava lendo seus pensamentos.

          ...

          — Certo...

          O refeitório do Hotel Miscolan, como tudo naquele lugar, era enorme e luxuoso. Basicamente, o lugar era um salão enorme com um lustre tão grande que não dava para ver o começo se você estivesse encarando o fim da luminária. Várias mesas de todos os tamanhos estavam espalhadas pelo piso, e, contornando o salão, um imenso buffet servia de tudo que um café da manhã poderia ter, de torradas a tortas.

          Sem perder tempo, eu e Gale pegamos nossos pratos e nos colocamos na fila para nos servirmos. Enquanto eu esperava, encarando meu reflexo no prato, uma voz conhecida surgiu atrás de mim.

          — Garoto-insónia! Você aqui novamente.

          Quando virei, me deparei com a garota loira do quarto abaixo do meu. Ela tinha consigo o mesmo sorriso alegre e confiante da última vez que a encontrei.

          — Pode me chamar de Oliver — disse, nervoso.

          — Então me chame de Lilith. É um nome muito bonito.

          — Ah, obrigado.

          — Não, eu estava falando do meu.

          Atrás de mim, Gale ficou curiosa com a chegada daquela estranha. Encarando Lilith, ela sussurrou:

          — É uma conhecida sua?

          — Uma garota que encontrei ontem quando quis beber água no meio da noite.

          Colocando os olhos na figura pequena e escondida da pequena maga, os olhos de Lilith se iluminaram.

          — Que garota linda! E dessa vez eu não estou falando de mim! Qual o seu nome, amiguinha?

          Sem se importar de responder à Lilith, Gale se virou para a fila do buffet e começou a colocar comida no seu prato.

          — Ela é meio tímida — falei, claramente mentindo para poder dar uma desculpa.

          De repente, vi um braço ser levantado na multidão atrás da funcionária do PM. Olhando por cima do ombro dela, vi Jacob e Cecyl se aproximando. O Cavaleiro, como sempre, sorria animado. Mas, dessa vez, ele parecia mais alegre que o normal.

          — Olá, Jacob — disse, quando ele já estava perto o suficiente.

          — Olá, linda garota loira que acompanha meu amigo. — Foi a resposta dele, apertando a mão de Lilith. — Seu nome seria...?

          Antes da pergunta ser respondida, Cecyl apareceu às costas do mago e o arrastou de volta para o início da fila do buffet.

          — Me desculpem por isso. Bom dia para vocês — falava ela enquanto se afastava.

          — Eu me chamo Jacob! — gritou o outro, sendo levado. — Venha sentar com a gente depois!

          Rindo, meio confusa, Lilith virou para mim com uma pergunta subentendida em sua expressão.

          — Sim, é um amigo meu. Faz parte da minha Família, na verdade. Me desculpe, ele sempre é animado assim.

          — Não precisa se desculpar.

          Como eu não conseguia pensar em mais nada para conversar, e Lilith também não parecia estar muito interessada em jogar papo fora, continuei seguindo a fila do buffet em silêncio, colocando as coisas que achava interessantes no meu prato. Algumas das comidas servidas tinham aparências estranhas e nomes complicadas, e eu acabava colocando no prato apenas por curiosidade, mas com grande medo de acabar me arrependendo.

Sociedade dos MagosOnde as histórias ganham vida. Descobre agora