Capítulo Onze

Começar do início

- Quero começar te pedindo desculpas pelo papelão que fiz ontem na casa da sua avó. Eu sei que errei e não irei colocar a culpa na bebida. - Falo e me viro de frente para a janela também, vendo minha fazenda como principal paisagem.

- Isso é bom! - Ele diz simples e não fala mais nada.

- Eu sei que foi errado, mas tudo o que falei sobre Evan é verdade. Eu sinto a falta dele, sei que não gosta da nossa aproximação, mas me dói muito não ter mais contato com ele. - Falo e fico em silêncio.

- Não é que não goste, só tenho medo de  no futuro ele sofrer por sua causa. Você namora, muito bem se casar com Débora e ter seus próprios filhos. E depois? Meu filho fica como? Sempre foi só eu e ele, sempre fiz de tudo para o mater bem e só quero que ele continue bem. - Ele fala e olho para ele.

- Eu não tenho nada com Débora. - Falo rápido, tendo a necessidade de explicar isso a ele.

- Não é o que parece. - Ele diz sério e mal humorado.

- Mas é a verdade! Sim, eu fico com ela de vez em quando, mas não é esse o ponto. O que está em jogo aqui é outra coisa. - Falo e faço uma pausa para respirar. - Sei que só quer o melhor para Evan, mas eu sei que ele também está sofrendo. Não dói em você ver ele dessa maneira? - Pergunto e sei que toquei em seu ponto fraco.

Vejo ele morder o lábio inferior que estão trêmulos e uma lágrima escorrer por seu rosto.

- Eu também só quero o melhor para ele, e eu sei que posso ser presente na vida dele. Evan é importante pra mim é eu jamais o abandonaria... ele é como um filho pra mim. - Digo e ele vira o rosto para me olhar.

- Esse é o problema... ele não é seu filho! Não quero que assuma uma responsabilidade que não é sua. - Ele diz e noto cansaço em sua voz.

- Mas e se eu quisesse? - Pergunto e me aproximo dele.

- Por que faria isso? - Ele pergunta me olhando fixamente.

- Eu amo aquele menino, assim como eu gosto de você. - Falo de uma vez e ele dá uma passo para trás, se afastando de mim.

- O quê? - Ele pergunta desnorteado.

- Eu não sei como e não pergunte porque, mas eu gosto de você Castiel. Achei que jamais gostaria de alguém novamente, mas você despertou algo em mim, no momento em que pisou nessa fazenda. - Falo e ele balança a cabeça em negação.

- E por isso agora quer brincar de família feliz comigo e meu filho? Me desculpa, mas isso não funciona na vida real. - Ele diz de forma amarga.

- Diz que não sente nada por mim também... - Falo baixo e me aproximo mais dele, que continua dando passos para trás, até parar em minha mesa.

- Eu não... - Pego em sua cintura e o beijo como na noite de ontem, só que dessa vez tendo consciência dos meus atos.

Nossas línguas se entrelaçam uma na outra e posso sentir seu gosto se misturar ao meu... bem melhor que noite passada. Sinto a entrega de Castiel e isso me deixa satisfeito... mostra que ele não é indiferente a mim.

Mas logo nosso beijo é quebrado por Castiel, que se afasta de mim e deixa um sonoro tapa em meu rosto.

- Nunca mais faça isso seu ogro! - Ele diz irritado e viro meu rosto para o olhar novamente, sentindo o tapa que ele me deu arder em meu rosto.

- Deixa eu provar que gosto de você. - Peço e olho em seus olhos.

- Isso não dá certo! O amor não funciona para mim... Só sairei machucado como no passado. - Ele diz e sinto sua vulnerabilidade no momento.

- Eu não sou ele. - Falo com calma.

- E você quer provar que gosta de mim como? Se pegando com aquele despacho pela casa? - Ele pergunta com raiva e me empurra, conseguindo sair do meu aperto.

- Já disse que não tenho nada com Débora. - Falo exasperado e me viro para ele.

- E por que ficam se beijando aqui? - Ele pergunta e cruza os braços em cima do peito.

Fico em silêncio e não falo nada por um tempo, até que ele volta a falar.

- Olha, eu vou permitir que veja Evan novamente. Sei que ele também gosta muito de você e não quero mais ver meu filho chorando a todo momento por sentir sua falta. Mas é isso Adrian, eu não posso me entregar novamente a alguém. Eu estou muito bem dessa forma e creio que assim será melhor para ambos. - Ele fala e eu fecho meus olhos em frustração.

- Melhor para quem? Para você por ser covarde? - Falo e ele permanece em silêncio, se desviando do meu olhar.

- Eu vou provar que gosto de você Castiel. Não sou e nem nunca serei a pessoa que destruiu você. - Falo e passo por ele, o deixando sozinho para trás.

➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖

Voltei!!! Adrian não esqueceu 🎉🎉

E aí jujubas???? Adrian vai ou não laçar esse ruivo marrento??

Ps: Gente, não sei se perceberam, mas esse é o segundo livro de uma duologia. Portanto há um primeiro livro, esse livro se chama "Coração Indomável" e os personagens de lá, também fazem parte dessa história. Então para quem ainda não leu, aconselho que leia, pois cenas que são específicas de cada livro e as vezes eu não vou descreve-las duas vezes. Então lendo os dois, fica melhor para o entendimento.

Bjus da Juh até a próxima 😘😘

Cowboy Indomável (Mpreg) - Duologia "Indomável" - Livro 02Onde as histórias ganham vida. Descobre agora