Capítulo Dez

3.5K 663 331

Castiel Almeida

Uma semana depois...

Os dias se passaram e com eles eu vi que Adrian realmente se afastou de mim e principalmente de Evan. Ele até evita ficar muito tempo no escritório comigo, e só fala o que é realmente essencial sobre o trabalho.

Eu não devia, mas me arrependi pelo que eu disse a ele. Evan nesses dias está sentindo sua falta e teve até febre, o que me deixou bem preocupado. Só que eu de verdade, só estava no melhor para meu filho, mas vejo que me equivoquei. Infelizmente Adrian já se tornou alguém importante para meu filho. Evan nunca foi de se apegar com as pessoas, a não ser aquelas que estão realmente bem próximas, mas com Adrian foi e é diferente... Eu posso ver o quanto os dois se apegaram em tão pouco tempo, e isso me preocupa muito.

Solto um suspiro e paro de teclar no computador a minha frente. Me espreguiço na cadeira e me levanto com a intenção de ir até a cozinha. Escuto algumas vozes na sala e quando paro pra olhar de quem são, logo me bate um arrependimento. Vejo Adrian agarrado a lambisgóia da Débora. "Oh homem que tem mal gosto".

Não deveria, mas a cena deles se beijando na minha frente me irrita mais do que tudo e para não pensar coisas que não devo, decido seguir meu caminho.

Ando a passos apressados até a cozinha e quando chego ao local, vejo minha avó batendo uma massa de bolo na mão, enquanto conversa com Evan que está sentado em seu carrinho.

- Olha quem chegou foguinho... e parece não estar de bom humor. - Minha avó diz assim que me vê e eu reviro meus olhos.

- Para de o chamar assim vó, não sei porque o Angie colocou esse apelido no meu filho. - Falo fingindo irritação, mas no fundo até que eu gosto do apelido.

- Porque combina com ele e para de reclamar. E que cara é essa? Viu o que não gostou? - Ela pergunta sugestiva e eu odeio essa mania que minha avó tem.

- E o que eu veria que não iria gostar? - Pergunto e vou até meu filho, pegando ele em meus braços, dando um beijo em seu narizinho em seguida.

- Ah, não sei! Talvez um certo cowboy com uma mulher sem sal lá na sala. - Ela fala e me olha com atenção, esperando uma reação minha, mas não vou dar esse gostinho para ela.

- E por que eu estaria espiando os outros? Tenho mais o que fazer, tipo trabalhar. - Respondo e pego um copo com água no pote de barro.

- Se você diz. - Ela fala e volta a trabalhar em seu bolo.

- É... Eu digo! Evan já mamou? - Pergunto mudando de assunto e dou um pouco de água para o meu filho.

- Ainda não, eu ia fazer daqui a pouco a mamadeira dele. - Ela diz e olha para além de mim.

Me viro para a entrada da cozinha e vejo o "casal vinte" entrando. Oh vontade que me dá de revirar os olhos, mas me seguro.

- Pode deixar que eu faço. - Falo ignorando a presença dos outros dois.

Evan assim que vê Adrian começa a se mexer para ir pro colo dele e como não deixo, ele começa a chorar. Tento acalmar meu filho, mas não funciona muito e minha avó vem pegar ele.

Pego as coisas para preparar o leite de Evan e tento não prestar atenção no choro dele.

- Você quer alguma coisa Adrian? - Escuto minha vó perguntar com a voz alta.

- Não, só vim avisar que vou levar Débora até a casa dela... qualquer coisa pode me ligar. - Ele fala.

- Pode deixar, mas não se preocupe... demore o tempo que precisar. - Ela fala e posso sentir que ela diz isso para jogar em mim, mas eu não sei o porquê exatamente.

Cowboy Indomável (Mpreg) - Duologia "Indomável" - Livro 02Onde as histórias ganham vida. Descobre agora