Capítulo 2

2K 341 91

*Rose*

Abro os olhos e me sinto como se tivesse tomado um gole da cachaça artesanal do meu pai. Ohh! Trem pra deixar as idéias tudo bagunçada. E nesse momento tento entender em que buraco eu estou...então tudo começa a tomar foco.

Me sento na cama de casal com lençóis branco, todo o quarto é branco com algumas partes na cor cinza claro. A frente vejo a porta de metal que eu sei que está trancada, pois não se esqueça Rose, você foi abduzida e drogada por Aliens mega estranhos que nada têm a ver com aqueles ridículos dos filmes.

Aliso a cama super macia e analiso o quarto todo.

- Caramba! Isso tudo é muito doido!- Levanto e sinto que minhas pernas estão um pouco bambas. Seja lá o que eles tenham me dado era bem forte.

Ando em direção aos pés da cama e ao lado tem uma cápsula do tempo gigante, mas com uma porta de vidro, e claro, como sou curiosa eu quero ver de perto. Ao me aproximar a porta se abriu derrepente me dando um susto.

- Que merda é essa!- Entro na cápsula que caberia mais uma pessoa e observo que o chão é de metal, mas cheio de furinhos largos que me lembram um ralo de banheiro. Será? Olho para o alto e não vejo o chuveiro, mas furinhos menores que os do chão, assim como têm vários nas laterais. Acho melhor eu sair daqui, pois do jeito que eu sou desastrada sou capaz de me lançar no espaço se isso for uma cápsula de emergência. Sei lá, né?

Me aproximo da porta que só agora me dei conta que se fechou. Que merda!

Aperto um botão verde e só pode ser esse para abrir, mas acabo de me arrepender de ter tocado. A máquina diz alguma coisa que eu não entendi. Ai meu Deus! Eu vou morrer!

Um jato de algo pegajoso sai da lateral das paredes e logo o teto começa chover sobre mim. Essa merda é mesmo um banheiro! Bato nos botões na lateral  da porta para fazer parar, mas só aumenta a força da água, assim como ficou mais quente. Eita porra! Eu vou morrer cozida dentro do banheiro, sem dúvida a morte que eu sempre sonhei!

-Socorroo! Alienss! Me tirem daquiii!- Grito e bato na porta e do nada a água para me trazendo um alívio, porém, um vapor começa sair de cima e dos lados balançando meus cabelos, a sensação até que é gostosa, mas logo acaba, então percebo que minha pele já não está tão molhada. Que louco isso! Me senti em uma máquina de lavar roupa e acabei de ser centrífugada, tão certo assim que a porta se abriu.

Saiu meio atordoada, mas paro ao ver a porta do quarto ser aberta.
O alien gostosão, quero dizer o bronzeado entrou e me encara de sombrancelha erguida, cruzo os braços e faço cara de paisagem, pois não fiz nada errado, ele sim fez ao me drogar.

- Vejo que achou a unidade de limpeza, mas costumamos retirar a roupa antes de entrar.- Ele me analisa e vejo seus olhos se fixarem no meu busto, onde eu acabo olhando e percebo que estou sem sutiã, pois odeio essa peça íntima maldita e como estava tranquila em casa, não imaginei que seria levada por Aliens para dar um rolê! E o problema é que minha camiseta é branca, então já sabe, o farol está bem acesso e parece ter atraído um expectador.

-Safado!- Digo baixinho e cubro meus seios, mas posso jurar que ó ouvi rosnar. E se aproximando da cama ele deixa algumas coisas, mas meu foco vai para a porta aberta e em um surto de loucura eu saio correndo.

Entro em um corredor branco e viro a direita meio sem direção e logo vejo o que parece ser um refeitório, mas atrás de mim ouço passos que parecem o de uma manada de búfalos. Agora corre sua louca!

Sigo correndo e lá dentro pude ver algumas garotas,  mas antes que eu consiga dar outro passo sinto minha cintura ser agarrada com um puxão que quase me dividiu em duas. Me balanço em seus braços, porém, paro assim que ouço ele grunhir tão alto que até meu coração deu uma freada.

O Supremo Alien-  *Série - Amores Aliens. Livro 1*Onde as histórias ganham vida. Descobre agora