Bem era hoje que eu iria aguentar a minha patética familia, então levanto, e vou ao banheiro, faço o que tinha de fazer, coloco uma calça preta, um all star uma blusa xadrez e faço qualquer coisa no meu cabelo

- Filha vamos- minha mãe grita, novamente

Pego uma mochila qualquer vou ate a cozinha faço oque tenho que fazer volto a esperar no carro com  obeso, já devem ate saber de quem estou falando, ele se aproximava de mim mesmo sabendo que sua presença me enjoava.

- Bom dia Esther- fala o ser repulgante sorrindo me achando com cara de dentista, para está me mostrando esses dentes

- O que tem de bom- Digo.

- Bom dia- Fala a senhora que se diz minha mãe

Resolvi nem responder coloquei uma música e botei meus fones e quando eu estou ouvindo música, eu estava encomodada e impaciente com a demora, e com a forma de como minha mãe me olhava pelo retrovisor do carro conferindo se eu ainda estava viva ou ainda não tinha me suicidado,
Tínhamos chegado e eu tinha dormido durante todo o caminho levantei, com um pote de sorvete na minha mão

- A sua mãe não iria gostar de saber que você esta comendo porcaria a essa hora- Stuart diz me Fazendo gargalhar.

- Foda-se - Digo ao revirar meus olhos

Minha mãe foi fazer o check in e eu fui ao banheiro, eu não tinha nada para fazer naquele banheiro fui apenas destruir, jogar papéis no teto, rabiscar o espelho com batom e quebrar as torneiras, volto e me sento em um banco ao lado de uma garotinha loira dos olhos da cor de safira

- Oi -Fala a garotinha sorrindo ela parecia um algodão doce, só de olhar para ela me dava fome.

Faço uma gigante bola de chiclete ao fazer um barulho quando ela estoura, saio dalí deixando a menina no vácuo, ela me olhou e mostrou a língua eu fiz o mesmo

Vejo minha mãe conversando com dois garotos, um loiro de olhos verdes e o outro de cabelos castanhos e outro deveria ter ficado no carro ou nem deve ter vindo, eu sei lá, Stuart acena com a mão me chamando até lá, então  de meia hora resolvo ir

- O que você que?- falo fazendo barulho com o chiclete ele me olha com cara de nojo

- Esther esses são seus irmãos, Bryan, Fala ela apontando para um garoto de olhos verdes e loiro E esse é o Austin Fala indicando para oque tinha  cabelo castanho que me olha fazendo uma cara estranha

- Tanto faz- Digo ignorando os dois

- Bom crianças vocês vão se da bem boa sorte- Minha mãe diz ao se despedir e pedir pra mim não usar drogas, nem engravidar e nem me suicidar...

- Vamos- Fala o garoto com cara de gay o Bryan

- Princesa é o caralho, não fala comigo já faz um grande favor- Bufo e ele da gargalhadas

Isso fez com que ele me olhasse com cara de medo, então entramos no carro que tinha outro garoto lá dentro de cabelos negros e pele morena olhos castanhos, seu corpo era sexy mas sua cara de idiota estragou tudo, ficamos em silêncio por todo o caminho e o Austin ficava bagunçando meu cabelo, aquilo estava passando dos limites, tirei um dos meus sapatos e atirei sobre suq cabeça com toda a minha força.

- por que nunca foi próxima da gente  - fala oque estáva dirigindo o carro

- porque eu não tinha vontade de me aproximar- Digo

Me olharam surpreendidos com a resposta, resolvo deitar no banco de trás do carro com o pé em cima do Austin e quem estiver incomodado se atire pela a janela, Seria um sonho atira esse carrapato pela a janela todos eles

Esther [{A editar }]Leia esta história GRATUITAMENTE!