Capítulo 31 - Penhasco

370 68 59

Minha mente fez uma volta completa, quando pisquei já estava novamente na beira do rio. Iara me observava do mesmo lugar com atenção. Senti um alívio imediato ao vê-la, como se o pânico anterior estivesse dissolvendo-se.

- Ainda sou uma adolescente fútil e mimada para você? – não consegui responder, estava sob efeito da adrenalina. Lutei contra a vontade de checar meu corpo, agora que eu percebia que tudo não passara de uma ilusão. – Não precisa se desculpar, confesso que eu também a julguei mal... Você poderia ter feito tudo diferente, mas agiu exatamente como eu... e terminou da mesma maneira: morta.

Engoli com dificuldade, as sensações e sentimentos da vida de Iara ainda estavam muito presentes.

- Eu sinto muito... por tudo. – era difícil saber o que dizer depois de ter visto tudo através de seus olhos.

- Hailey, o que ela está fazendo com você? – ouvi Julie questionar.

Meus amigos ainda estavam ali, lamentando a situação de Giovanna. Era mais do que gratificante saber que eles estavam bem... na medida do possível. Apenas ergui minha mão e pedi que Julie esperasse.

- Eu sei que sente. – Iara sorriu – Apenas tente não tirar conclusões precipitadas acerca das pessoas que você nem mesmo conhece. Não olhe para alguém e afirme algo com base na sua aparência ou mesmo em um pequeno gesto. As pessoas podem ser muito mais do que aparentam... Se precipitar tanto pode te trazer muitas surpresas no futuro. – vi Iara se inclinar ainda mais para frente e largar o espelho – Mas não se preocupe, nenhum erro é irreparável. Até mesmo aqueles que parecem tão complexos e completamente perdidos possuem chance de consertos. Você só precisa percebê-los a tempo...

Notei que Iara estava olhando para algo do meu lado enquanto dizia isso. Pelo canto dos olhos observei Julie, ela parecia surpresa com a sereia ou com suas palavras, eu não soube dizer.

- E isso você fez, então apenas atente-se. Fazer isso vai ser o pedido de desculpas perfeito para mim.

Me sentia tão idiota depois das palavras da sereia que apenas assenti. Além de ótima guerreira, também era muito inteligente, eu não sabia o que deveria dizer a seguir.

- Me desculpe, vou fazer o meu melhor.

Ela sorriu.

- Ótimo, pois agora vamos em frente com isso.

Iara mergulhou e desapareceu na água. Em minhas costas o fim do mundo ainda estava presente, Giovanna mal aguentava seus olhos abertos. Christopher me apontou um olhar alarmado como se dissesse: "depois você vai me contar tudo". A água se movimentou próxima a meus pés e antes que eu gritasse, Iara surgiu de lá e num salto sentou na pedra ao lado. O gesto me assustou.

- Tenho algumas coisas para você, como prometido. – ela deve ter visto minha confusão, pois sorriu – Eu disse que não guardo ressentimentos.

- Não é isso. É só que... Eu não passei no seu teste. Não mudei o seu futuro. Simplesmente tomei as mesmas atitudes que você e... morri no final. – respondi, hesitante se deveria caminhar até ela. A sereia apontou a pedra como se respondesse minha pergunta e mais por medo do que qualquer outra coisa, me abaixei, ficando bem mais próxima a ela. Eu precisava admitir, era realmente belíssima.

- E quem lhe disse que eu gostaria de mudar o meu passado? – Iara ergueu suas sobrancelhas – Não vou dizer que não sofri bastante, principalmente naquela noite. Guardei muita mágoa dos meus irmãos durante muito tempo. O ódio gratuito que Porã e Aruan sentiam por mim não tinha justificativas. Mesmo com todo o favoritismo do meu pai, que eu sei, era demais, as coisas não precisavam ter terminado assim. – ela suspirou.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!