Encontros, Reencontros e Confusões

30 3 0


No dia seguinte após o café da manhã, que foi mais sofisticado do que de costume, me encontro com a Charmli em seu quarto ela estava novamente rodeando de um lado para o outro, só que dessa vez ela mantinha um ar de preocupação no rosto, eu havia contado a ela tudo o que aconteceu no jantar, menos a promessa com a Ganiares.

- Sinceramente eu não sei o que meu irmão tem na cabeça, mas com certeza não é um cérebro... Trazer a publico que deseja se aliar aos kardiuns harmoniosamente, permitindo que tenham chance de serem nobres?! Ele deve estar louco...

- Bom... Isso já deveria ter ocorrido há certo tempo, mas vocês resolveram reprimi-los.

- Eu não concordo com a situação atual, mas não precisamos exagerar e chegar nesse ponto.

- Certo... Irei sair agora... Vou ir para a cidade esfriar a cabeça e comprar equipamentos novos...

- Eu vou junto então! Me aguarde próximo a saída que irei me arrumar.

-Certo, vou estar lá. – Saio do quarto dela e vou direto para saída lá me encontro com o Shinkerd que estava falando com um homem velho e alto, sua postura demonstrava segurança e poder, ele trajava roupas nobres de tonalidade espretiada.

- Sarvim?! – Shinkerd me nota e me chama, eu cuidadosamente me aproximo dele sem saber sobre suas intenções. – Pensei que estivesse com a minha irmã, de qualquer forma, gostaria que conhecesse uma pessoa. Esse é o... – Antes que ele completasse sua frase, ele é interrompido pelo velho senhor.

- Então você é o herói que matou o demônio? Você me lembra ao Corvo Sangrento...

- Ouço muito isso.

- Imagino, é um prazer conhecer você herói, meu nome é Zengstrour, sou um dos braços de vosso rei, e desejo que compareça ao castelo para comemorarmos a sua gloria...

- Desculpe-me, mas antes de receber qualquer prestigio viajarei junto de minhas companheiras par o labirinto de Harghedital.

- Companheiras? Eu não sabia que você era casado com duas mulheres ainda por cima. – Ele faz uma cara de desgosto, mas o Shinkerd me defende.

- Na verdade, são companheiras na jornada dele, e não de vida, ele ainda busca por sua esposa, acho...

- Se esse é o caso está tudo bem. Shinkerd podemos continuar nossa conversa em algum lugar mais adequado, e Sarvim, você gostaria de participar dela? Acredito que o assunto possa ser de seu interesse.

- Sinto e dizer, mas combinei com a Charmli de sair com ela, para comprar novos equipamentos.

- Certo, estarei a te esperar junto ao rei se não retornar a tempo.

- Sarvim antes que vá, pegue. – O Shinkerd me entrega uma bolça cheia de moedas de ouro. – Use-as com sabedoria.

Logo após ambos partem para uma sala onde poderia conversar sem interrupções. Alguns minutos após a Charmli surge com uma roupa mais simples, ela era parecida com a da primeira vez que nos encontramos, e partimos juntos para a cidade que ficava próxima a mansão.

Caminhamos juntos por horas, passamos em varias bancas de armamento, e aproveitamos para comprar as armas que seriam necessárias, a cidade não estava muito movimentada como da ultima vez que eu tinha ido nela.

Paramos em uma taberna da região para comer algo e conversar um pouco mais em particular.

- Isso me lembra de quando nos conhecemos.

Aventuras em ZarganfLeia esta história GRATUITAMENTE!