Capítulo 30 - Quem você é...

352 77 116

Um puxão forte me fez abrir os olhos novamente, minimamente, já que eu estava sem forças e a situação não favorecia. Traços de Giovanna ganharam foco diante de mim e demorei para perceber que a menina estava prestes a desmaiar. A confusão veio imediatamente: Onde estava a cauda dela?! O pânico me dominou, se aquele ser estava neutralizando até mesmo a forma natural de Giovanna, tinha medo do que mais podia fazer. Um novo puxão forte na minha perna me ergueu numa velocidade monstruosa. Ele me tirou da água sem muita delicadeza, em seguida já estava sendo jogada sobre as pedras da beira do rio novamente.

Tossi enquanto o oxigênio percorria meus pulmões. Incrível como a sensação de afogamento já não era nada estranha depois de tantos incidentes. Vi uma espécie de chicote escuro e ensopado desenrolando-se do meu tornozelo e desaparecendo na água, deixando um vinco vermelho na pele. Braços me alcançaram.

- O que era aquilo? – Julie questionou aterrorizada, enquanto me puxava pela blusa numa tentativa de me arrastar para o mais longe possível do rio.

- Hay, olhe para mim. Você está bem? O que aconteceu lá embaixo? – percebi que Christopher estava molhado, sinal de que ele havia entrado na água. Estranhamento não tinha sido atacado. Apenas neguei com a cabeça, sem ter respostas.

- Onde está Giovanna? Você a viu? Ela está bem? – Benjamin insistiu, ainda estava dentro do rio, procurando a moça desesperadamente. Trazia sua faca no lugar do arco e das flechas, apesar de também não ter sido atacado estava em estado de alerta.

Apenas apontei para a água. Minha visão começou a girar, uma onda de frio arrepiou meus braços.

- Eu vou ajudá-lo!

Julie se preparou para pular, quando algo irrompeu da água, jogando-a sobre nós e finalmente Giovanna foi expelida próxima a mim pelo mesmo chicote estranho, que agora, olhando com mais atenção parecia... cabelo.

Os dois Benjamins que eu via pareceram confusos, olhando ao redor com atenção. A água se agitou ao seu redor e no segundo seguinte ele também foi jogado ao nosso lado. Benjamin nem quis saber o que o tinha erguido e expelido da água. Correu para verificar como Giovanna estava, já que eu não tinha condições, Christopher parecia preocupado demais sustentando meu corpo e Julie continuava com o olhar estagnado no rio.

Os olhos de Giovanna estavam abertos, mas o corpo mole e cansado, sem forças, parecendo ainda pior do que o meu.

- Por que Giovanna não se transformou? – Christopher sussurrou em meu ouvido. – Ela está molhada, não está?

- Como eu imaginava! – a voz feminina, grave e... incrivelmente bonita retornou – Tantos segredos rondam vocês, jovens... Porém, confesso que uma sereia sem sua essência me pegou de surpresa. Nunca tive a honra de me deparar com algo do tipo, então perdoe minha recepção tão calorosa.

Trocamos olhares confusos. Minha visão começava a ajustar aos poucos, mesmo que meus músculos ainda parecessem pedaços de concreto.

- O que quer dizer com isso? – Benjamin questionou encarando o rio em busca de quem quer que fosse a dona da voz. – Apareça! – exigiu apontando a faca.

- Ah! Então é você? – ela riu novamente, parecia debochada – Sinto a essência dela em você, tritão. Assumo que até eu me sentiria tentada a abrir mão de minha verdadeira forma por alguém tão belo como você.

Qualquer sintoma de cansaço desapareceu do meu corpo, no lugar uma onda nauseante se instalou. Me sentei sobre as pedras.

- O que...

- Do que está falando? – Benjamin foi interrompido por Christopher que arregalou os olhos ao começar a entender aquelas palavras.

- Quando Giovanna tirou aquela escama... ela... ela sacrificou a verdadeira forma dela para salvar Benjamin. – respondi, paralisada - Por isso eu não vi sua cauda quando estávamos lá embaixo. Ela não a tem mais.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!