Capítulo 4

8.8K 910 1.5K

Sem revisão

Nova York

Norah

Estou exausta, acabei de sair do último quarto daquele dia. Quando o Senhor Falcon não está, fica mais fácil fazer a limpeza, não preciso limpar sua suite, só passo lá para ver se está tudo em ordem. Sempre que ele vem avisa antes, então eu dou mais uma geral e deixo tudo como ele gosta, já tem um tempo que ele não vem e parece que não vai aparecer tão cedo.

Madame Remy, estava muito atarefada essas semanas, ela estava contratando novas meninas e estava fazendo o treinamento delas, ela quase não parava no bordel, já que o treinamento é feito em outro local. Estou até feliz, essas semanas tem sido tranquilo, até comi mais, pois as prostitutas que moram aqui me deram comida.

Segui pelo corredor empurrando o meu carrinho de limpeza, agora vou ir até o quarto das gêmeas, espero que elas não impliquem e me dê algo para comer. Estava andando distraidamente quando ouço alguém me chamar as minhas costas
— Norah
Me viro e vejo a Cleide, a prostituta que conversei algum tempo atrás, ela sempre foi gentil comigo e sempre falava que seria a minha fada madrinha.
— Oi Cleide
— Já terminou a limpeza?
— Sim, hoje consegui terminar cedo
— Que bom! Quer fazer aquilo que combinamos hoje?
— Hoje? Mas Madame está em casa
— Não, ela saiu com as gêmeas, saiu faz pouco, esse é o momento perfeito, vamos lá no meu quarto.
— Eu preciso comer algo primeiro
— Tem comida lá, eu preparei uma mesa bem bonita, vem!
— Okay! Eu vou deixar esse carrinho na dispensa
— Eu te ajudo, vamos!

Seguimos até o quarto onde guardo todo o material de limpeza, Cleide me ajudou a guardar tudo, logo em seguida, seguimos para o quarto dela
— Senta aí Norah, hoje vou ser sua fada madrinha e transformá-la em uma princesa, mas não uma princesa dos contos de fada, mas uma princesa sexy.
— Será que você vai conseguir fazer isso? Estou magra demais, não tenho quase seios, minhas pernas são finas
— Você é linda, seu corpo é perfeito, você não precisa fazer nada para ficar sexy, com esses seus olhos você conquista qualquer homem, porém q transformarei na mulher fatal.
Eu ri, diante das beldades que trabalhavam ali, eu parecia um patinho feio.

— Vamos começar soltando o cabelo, você pode ir comendo o que tem na mesa, enquanto eu cuido de você
— Obrigada
Comecei a comer, tinha uma variedade de coisas, frutas, bolos, biscoitos, refrigerante. Peguei uma fruta e comecei comer
— Seus cabelos são maravilhosos, sem tratamento nenhum e brilham como raios de sol, precisa de um corte, mas eles são espetaculares
— Minha Nana sempre dizia que meus cabelos são  parecidos com os de minha mãe, eu nunca a conheci
— Sinto muito
— Eu não sinto mais, nunca a vi, ela é como um anjo para mim.
— E seu pai? O que aconteceu com ele?
— Ele também morreu,  nunca gostou de mim, se foi e me deixou com essa bruxa
— Que cruel
Cleide começou a fazer babyliss em meus cabelos, nunca havia feito isso antes, meu cabelo tem angulações naturais, o babyliss potencializou ainda mais os cachos.
— E você Cleide, qual a sua história? Percebo que tem um sotaque, de onde você é?
— Eu sou brasileira, vim do Brasil
— Sério? Aquele país na América do Sul não é?
— Sim, meu país maravilhoso, quente, de um povo feliz.
— O que te fez vir para cá?
Cleide deu uma pausa, ela ficou pensativa, eu fiquei incomodada e disse:
— Se não quiser falar tudo bem
— Não, eu acho que essa é uma boa oportunidade de contar a minha história para alguém, mas eu só te peço para nunca contar isso para ninguém
— Tudo bem, eu não tenho amigas para contar nada
Rimos
— Então, eu vim para América a dez anos atrás e não vim por livre vontade, eu só tinha 15 anos e fui traficada
— O Meu Deus! — Coloquei minha mão na boca
— Eu sei que isso é chocante para você, porém isso acontece todos os dias. Eu fui enganada, prometeram a minha mãe que eu teria um trabalho aqui, vida boa e minha mãe autorizou. Sabe, minha mãe era muito humilde, não sabia nada do mundo, ela achou que estaria me dando uma vida melhor. Era tudo ilusão, quando cheguei aqui, fui vendida para um bordel, não era nada comparado com
esse aqui, era uma bordel de quinta categoria. Lá eu fui prostituta dos 15 até os vinte anos. Consegui fugir e vim para NY, não tinha muita opção, ou eu era prostituta, ou eu era prostituta, então procurei um outro bordel para trabalhar, era muito melhor que o outro, ali eu era livre, então comecei a ver dinheiro de verdade, eu sempre tive muitos clientes por ser brasileira, então, todo dinheiro que ganhava, investi na aparência, coloquei silicone em todos os lugares que você possa imaginar.

Sob o Jugo do Mafioso +18 concluído Leia esta história GRATUITAMENTE!