Capítulo 29 - O Rio

Começar do início

- E o que acontece com Benjamin se eu decidir parar? Você me garante que ele ficará bem?

Ele hesitou.

- Sabe que não posso fazer isso.

- Ótimo! Então me deixe terminar isso em paz... – ele bufou, passando as mãos pelos cabelos. Um gesto que eu já havia me acostumado a ver quando ele estava nervoso. Nos últimos dias isso vinha sendo repetido muitas vezes. – A não ser que esteja insinuando que eu deixe Benjamin morrer... É isso o que você quer?

Christopher me encarou com o rosto franzido, meu poder ficou ainda mais forte quando comecei a me irritar com o seu silêncio, finalmente o líder parou de tremer.

- Não fale assim comigo, como se eu não me importasse. Como se eu fosse um... monstro... – eu não sabia se estava sendo muito rigorosa com Christopher, mas certamente ele havia ficado ofendido - Sabe que Benjamin também...

- É importante para você? É, você já disse isso antes, mas não é o que parece... – o interrompi. A falta de energia parecia estar mexendo com o meu emocional também, minha raiva apenas aumentava - O tempo todo fica me dizendo para desistir, para seguirmos em frente e terminarmos a missão. Eu entendo sua preocupação, Christopher, mas isso está parecendo mais ressentimento disfarçado.

- Não sabe o que diz. Eu me importo com Benjamin e estou fazendo tudo o que posso para ajudá-lo. – disse com a voz contida - No entanto, você vai morrer se continuar assim e sim, pode me chamar do que quiser, eu não vou escolher a salvação dele se o preço for perder você.

Seu olhar sobre mim era praticamente insondável, eu não pude decifrar muita coisa, mas a preocupação presente ali era um elemento em destaque. Eu podia lê-la como se um outdoor com letras neons estivesse mostrando para mim: "ele se preocupa com você porque te ama, garota! ". Isso foi o suficiente para que eu me acalmasse, mas Christopher já estava erguendo-se do chão e indo para o outro lado do acampamento, deixando-me ainda pior.

Pouco tempo depois Benjamin já estava em sua temperatura normal e nos preparamos para sair. Julie juntou nossas mochilas e parou em frente a trilha que iríamos usar. Christopher continuava inventando tarefas para deixar suas mãos ocupadas e consequentemente me ignorar. Eu sabia que lhe devia um pedido de desculpas, então me preparei para ir até ele quando fui interrompida pelo grito de Giovanna. Ela estava caída no chão... Corri até ela.

- Você está bem? – segurei seus braços. Logo os outros já haviam se aproximado também, mas a expressão de dor no rosto de Giovanna foi o que ganhou minha atenção. – Foi atingida? Alguém te atacou?

Ouvi o som inconfundível de Christopher puxando a espada e pelo canto dos olhos observei Julie olhando ao redor da floresta.

- Não, não é isso... – minha dama respondeu, a voz baixa.

- Você tem certeza? – Christopher questionou.

- Foi só um tropeço, eu estou bem. – ela ajeitou-se e começou a levantar com dificuldade. Me perguntei se havia torcido o pé. – Eu só gritei por causa do reflexo.

- Garota, precisa olhar melhor por onde anda. Desse jeito vai matar um de nós do coração.

- Julie tem razão, a missão está ficando cada vez mais complicada. Pensei que estávamos prestes a enfrentar outro desafio. – falei, ajudando-a a limpar a terra e as folhas de sua roupa.

Já fazia um bom tempo que eu não via Giovanna, a garota tinha se embrenhado pelas árvores nos últimos dias e aparecera poucas vezes com algumas frutas para nos alimentar e plantas medicinais para ajudar. Ela parecia empenhada em achar a cura para Benjamin mesmo com tão pouco conhecimento sobre o assunto. Eu sabia bem o motivo, podia ver a culpa estampada em seu rosto, ela tinha o mesmo pensamento que o meu sobre o tal elixir das escamas e para ela era um desafio ainda pior por ter sido ideia dela.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!