Capítulo 29 - O Rio

430 69 54

Hailey

Mais um desafio... Era o mínimo que minha mente ainda conseguia refletir, de uma forma no mínimo irônica, depois de tantos acontecimentos em um único dia. Com a água cobrindo-me por completa e ofuscando qualquer sinal de oxigênio, o pensamento de deixar o destino me levar para onde quer que fosse estava seduzindo-me como nunca. Apenas fechei meus olhos, querendo que tudo acabasse de uma vez.

Mais cedo, enquanto apagava a fogueira do acampamento e me preparava para enfrentar mais uma trilha desconhecida, tentei ficar otimista. O que era um desafio vendo Christopher erguer um Benjamin desacordado, utilizando a levitação que Buu, o fantasma, havia colocado no garoto. Meus olhos fechavam-se a todo o tempo e o corpo já havia ido além do estado de exaustão, após dois dias vivendo a base de pequenos cochilos que logo eram interrompidos por mais uma crise de Benjamin. Era impossível não pensar que o elixir da sereia com o ingrediente extra do lobo estava na verdade matando-o de forma mais dolorosa do que se não tivéssemos feito nada.

- Hay, está acontecendo de novo! – larguei a fogueira ainda acesa e corri até Benjamin para repetir o processo que vinha acontecendo mais vezes do que eu achava que pudesse aguentar.

O corpo dele estava ficando pálido novamente, enquanto tremia como se estivesse sendo atingido por um raio. Era sempre assim, ele parecia bem e no minuto seguinte sua temperatura aumentava até um nível assustador e nada comum. Foi em meio ao meu desespero, em sua segunda crise, que descobri que talvez meu poder pudesse ajudá-lo. Com o nervosismo, não percebi que estava emanando uma trilha gélida em sua direção, foi só quando ele se acalmou que a ficha realmente caiu: o gelo havia ajudado. O problema era que a situação estava ficando mais intensa, sua temperatura já estava em um nível tão alto que não funcionava mais se eu apenas ajudasse à distância, eu precisava abraçá-lo e mesmo assim ainda era um trabalho difícil.

E ali estava eu novamente, abraçando Benjamin pela centésima vez desde aquele ataque, emanando poder para ajudá-lo e sentindo toda a minha energia se esvair com o gesto. Aquilo também era doloroso para mim, abraçar seu corpo era como segurar um pedaço de brasa... Me surpreendia por ainda conseguir, mas sabia que logo seria inútil. Se a temperatura de Benjamin continuasse a aumentar, meu gelo não resistiria e eu não queria pensar no que aconteceria com o líder.

- Hailey... – Chris, abaixado em minha frente, esticou a mão involuntariamente em minha direção, logo a recolheu. – você está tentando, mas...

- Eu estou bem. – repeti pela milésima vez, interrompendo-o, porém sabia que não estava. O suor ensopava meu pescoço, meus ossos tremiam, eu estava no meu limite e Christopher sabia disso. Ele me apontou um olhar de pena.

- Não, você não está. E eu não vou deixar que se mate desse jeito em vão.

- Em vão? Já conversamos sobre isso, Christopher, não me faça discutir com você agora. Pelo menos me dê um minuto.

Naquele momento toda a minha energia, ainda restante, estava concentrada em me manter com os olhos abertos. Se eu desmaiasse seria o fim de Benjamin, então não era o momento de discutir com o meu namorado. Me sentia grata por tudo o que Christopher estava fazendo: saindo pela floresta em busca de qualquer coisa que pudesse curar Benjamin, me ajudando a preparar remédios e até mantendo-se ao meu lado sem esboçar seu incômodo quando eu estava abraçada ao líder. Mas se havia algo que eu não conseguia aturar era seu recente pessimismo.

- Não quero te deixar brava, você sabe, mas o seu estado já é deplorável. Olhe para si mesma. – ele gesticulou em minha direção - Você não consegue ver, mas eu sim, está se matando aos poucos. Precisa parar, precisa descansar, já faz dois dias...

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!