Capítulo Seis

4.1K 671 346

Castiel Almeida

Continuo olhando fixamente para a mulher em minha frente e minha vontade é de rir da cara que ela está fazendo.

- Posso saber o que está acontecendo aqui? - Escuto a voz grossa de Adrian e logo vejo a sua figura se aproximar de nós dois.

- A rainha da cocada preta aí, está dando um show. - Falo com desdém e aponto para a mulher na minha frente, que falta bufar de raiva.

- Olha aqui coisinha, eu exigi que me trate com mais respeito. Você sabe com quem está falando? - Ela pergunta, como se isso fosse fazer a maior diferença na humanidade ou para mim... coitada, tão iludida!

- Não sei e nem quero, de pessoas como você eu quero é distância. - Falo com um sorrio cínico no rosto.

- Seu... - Ela ia falar algo, mas a voz irritada de Adrian a interrompe.

- Parem os dois, não quero essa discussão aqui na minha casa. - Ele diz e eu reviro meus olhos. "Se não queria, porque deixa uma pessoa desse tipo entrar aqui?"

- Acho que deve filtrar melhor as pessoas que visitam sua casa... está muito mal frequentada. - Falo casualmente e prendo meus lábios para não rir da cara de bosta da mulher.

- Amor, você vai deixar ele falar assim comigo? - Ela diz com a voz extremamente fina e super irritante.

"Calma aí? Ele tem algum a coisa com essazinha? Meu Deus, quanto mau gosto!"

- Castiel para de provocar e Débora, já disse para não me chamar dessa forma, nós não temos nada. - Ele diz com irritação.

- Mas... - Ela não consegue terminar sua fala, já que é novamente interrompida por ele.

- Nada de mais, vem comigo que eu tenho mesmo que falar com você. E Castiel, volte ao seu trabalho. - Ele diz sério e pega no braço da tal Débora, a levando para longe.

- Castiel volte ao seu trabalho. - Imito o jeito dele falar e logo em seguida escuto uma gargalhada atrás de mim.

- Ótima imitação do meu irmão... só que não! - Escuto a voz de Maurício dizer entre gargalhadas e me viro para o olhar.

- Seu irmão me estressa, agora tem essa mulherzinha aí... nojenta. - Falo com desgosto e ele ri ainda mais.

- Eu ouvi a briga de vocês dois e cara, eu gosto mais ainda de você. Sempre quis falar umas boas para aquela lá. - Ele diz quando se recupera da sua crise de risos.

- Só disse a verdade, mulherzinha mais sem noção. - Falo indignado. - Mas me diz, ela tem mesmo alguma coisa com seu irmão? - Pergunto com um pouco de curiosidade.

- Graças a Deus não, bem, não de verdade. Eles já ficaram algumas vezes depois que minha cunhada morreu, mas ele a dispensou faz um tempo. Só que ela vive correndo atrás dele, mas ainda bem que não teve sucesso. - Ele responde e eu me apego em uma coisa que ele diz.

- Adrian é viúvo? - Pergunto e ele arregala os olhos, como se só agora estivesse se tocado do que disse.

- Aí Deus, não devia ter aberto a boca, meu irmão odeia quando eu conto sobre isso. Mas sim, ele é viúvo há 5 anos e por favor, não diga a ele que te contei isso. - Ele praticamente implora.

- É claro que não Mau, pode ficar tranquilo. - Falo e olho para trás. - Hum, deixa eu voltar para o trabalho, antes que seu irmão venha chamar minha atenção e nós dois brigarmos. - Digo e me afasto aos poucos.

- Tudo bem! - Ele responde e logo também segue uma direção diferente.

Volto para o escritório de Adrian e encontro o mesmo vazio. Me sento em minha mesa e retomo o meu trabalho de onde parei.

Cowboy Indomável (Mpreg) - Duologia "Indomável" - Livro 02Onde as histórias ganham vida. Descobre agora