Capitulo 1

844 81 16

Aqui estou eu, novamente com meu paciente mais antigo. Victor. Um garotinho de seis anos que enfrenta dificuldades por ser gago, sua mãe havia colocado em uma fonoaudióloga. O processo estava sendo um pouco difícil.

— Então meu amigo, você devia falar com sua mamãe para quem sabe ela deixar você ir com seus amiguinhos.

— Ma-mas ela não quer, disse-se que não era uma bo-boa ideia.

— Então, deixe eu falar com ela certo? - dou uma piscadinha para o garoto. Parece que o tempo passa tão rápido, lembro quando Savannah era pequena assim.

Alguns minutos depois, meu último paciente do dia havia ido embora. Meu celular vibra, tocando a música de Ariana Grande.

— Oi meu anjo - Zack.
— Oi Zack, já está me esperando? - provoco, Zack tinha mania de estar sempre disposto a largar tudo e me buscar.

— Ainda não sai do hospital - sua voz é suave. Fecho a cortina de persianas da janela.

Zack era médico.

— Savannah me ligou, porém perdi a ligação.

— Ela conseguiu falar comigo, falou sobre ir na universidade no baile dos calouros.

Zack era meu namorado já faziam dois anos.

— Ela havia falado sobre o vestido, acho que era isso que ela queria saber. Eu vou ir me encontrar com as garotas - aviso.

— Tudo bem, me manda uma mensagem quando chegar em casa.

— Se cuida.

Desliguei as luzes e tranquei a porta, meu consultório de psicologia ficava em um centro comercial. Havia vários outros consultórios.

Desci no elevador e logo cheguei ao estacionamento, Mini Cooper preto.

Hoje seria a noite das garotas, havia combinado de me encontrar com as minhas colegas da faculdade. Emily, Diana, Leny e Giorgia.

Elas são da cidade mesmo. Eu sou intrusa no grupo. Resolvi morar em Miami, logo depois que Savannah entrou no colegial. Então a cidade era maravilhosa para recomeçar. Logo no primeiro ano, conheci Zack na primeira vez que Savannah teve uma crise. Zack foi o médico que cuidou dela, ele acompanhou os exames.

Ele foi meu analgésico, literalmente curando tudo que havia sido machucado.

— Achei que ia furar hoje - Giorgia sorri, caminhei até elas e sentei ao lado de Emily.

— Claro que não, trabalho até tarde querida - fico irônica. Um garçom se aproxima, trazendo um copo para mim, com um suco de laranja. Com certeza elas já haviam pedido isso.

— Hoje foi um dia muito corrido, nossa agencia de modelos foi promovida para cuidar de uma nova marca de roupas.

— Você fala como se fosse modelo, não uma psicóloga - Diana sorri adiante.

— Eu sirvo para conversar com as modelos, mas se um dia quem sabe me enxergarem eu viro uma — Giorgia ri.

Leny se ajeita e vira para mim, com um sorriso largo.

— Como está o namoro - ela da uma risadinha.

— Bem.

— Zack falou algo sobre, uma palavra que da frio na barriga - Leny dispara.

— Agora conta!

— Ele estava comprando uma aliança - ela pausa e eu gelo. — De noivado!

Puta merda!

Não que eu não vou casar um dia, porém. Eu e Zack estávamos indo muito bem. Noivado agora, iria estragar o encanto. Não sei se conseguiria me envolver com alguém de um modo tão profundo novamente.

— É desprevenida, sorte que eu falei. Pois é melhor essa reação na minha frente do que da dele!

— Nem sei o que eu falo - quando vejo, todas prestam atenção.

O tempo passa, elas falam sobre exatamente tudo. Enquanto novamente o garçom chega com outro copo de Vinho.

— Sabe que horas são? - aquela voz suave, me enche de alegria.

— Como sabia? - olho para Zack, com sua jeans azul e camisa polo cinza.

— Como se esse não fosse o point de vocês!

— Veio me levar embora? - digo já me ajeitando.

— Tinha que garantir que chegasse em casa com segurança - ele segura minha bolsa. Enquanto as garotas bajulam ele.

— Usem camisinha - Giorgia fala abertamente, para todos ouvirem.

Ignoro os comentários, vamos até meu carro.

Evito pensar no assunto que Lenny falou. Zack era muito bom, mas eu sei que tudo pode mudar. Essa onda de sensações, me arrastam para o passado.

— O que acha de jantarmos amanhã, no nosso restaurante preferido?

QB2- Recomeço Onde as histórias ganham vida. Descobre agora