Planos: O exército- Tudo o que eu queria!

49 9 32

Volto a casa de Alexander suado, sangrando e molhado (está chovendo). Eliza logo se mostra preocupada:

- Meu Deus, o que aconteceu com você, Robin? Não está ferido, está? E essas armas?! 

- Estou bem, Eliza! Relaxe! O sangramento foi um cachorro que ficou correndo atrás de mim, e me mordeu todo; eu não fiquei ferido na batalha com os casacas-vermelhas; eles perderam a batalha, e eu ainda fiquei com as armas deles. 

- Você os matou?- pergunta David, curioso. Sorrio.

- Não. Não os matei; não tive coragem de matá-los; mas, talvez, mate alguém algum dia. Quem sabe...

- Mas...e essas armas, mr. Church?- Indaga Alexander.

- Negociei com eles. Tudo foi muito fácil.- Sorrio. Alexander continua me encarando. Sinto minhas mãos suarem.

Meu Deus! Que ele não me mate, que ele não me--

Ele se aproxima de mim e segura meu ombro. 

- Parece ter talento para o combate, mr. Church. Gostaria de convoca-lo para o exército. Então...?

Não jogue fora a sua chance; se você chegou até aqui e está conseguindo o que quer, não jogue fora a sua chance.

Penso nas coisas que tive de enfrentar; a morte da minha mãe no parto, a loucura do meu pai e a expectativa e pressão em cima de mim. Finalmente estou em um local em que me aceitam, e me veem como um menino normal, como um plebeu, e não como um príncipe.

- Mr. Church? Você está bem?- Alexander agora está na minha frente, estalando os dedos. Saio do meu devaneio.

- Aceito sim, mr. Hamilton...- Digo, com a voz um pouco trêmula. Mas ele não parece perceber isso.

- Amanhã lhe apresentarei ao general Washington. Se ele consentir, já estará no exército antes da próxima batalha. 

- Ótimo. - Dou um sorriso fraco e bocejo. - Foi um longo dia, mr. Hamilton. Gostaria de dormir.

- Claro!

***

Não consigo dormir, por mais que a cama seja confortável. David está dormindo a sono solto a meu lado, mas não consigo dormir. Estou uma pilha de nervos. Vou conhecer o xará e rival do meu pai...George Washington, o orgulho de Mount Vernon. Tenho de estar apresentável e não cometer nenhum erro, caso contrário... 

Imagens loucas são projetadas em meu cérebro; eu sendo enforcado por Alta Traição, sendo xingado por Washington... 

São imagens sem nenhum sentido, mas que apenas acentuam o nervosismo. 

Mas, pelo menos, estou no caminho certo, penso, me acalmando um pouco e, finalmente, adormecendo.



The King's sonLeia esta história GRATUITAMENTE!