Capítulo Onze

16 2 32

No dia seguinte, Amelin acordou agitada e mais cedo. Arrumou-se depressa e comeu seu café da manhã. Após terminar de se arrumar, seguiu em direção ao centro de treinamento; estava equipada com uma bolsa esportiva, contendo sua garrafa de água e uma das sacolas mágicas de comida. Já que passaria o dia todo treinando, deveria se alimentar melhor que no dia anterior. Queria ir mais cedo para não se estressar e correr o risco de atrasar; adiantou-se quinze minutos. Ao chegar ao local, tentou abrir a porta de madeira, que estava aberta, entrou e foi em direção à escada, que subiu até o primeiro andar, onde ficava a biblioteca de Sebastian. Pegou o livro que estava lendo no dia anterior e sentou-se no sofá, procurando por Sebastian, antes de começar a leitura de onde parou. Como não o havia visto, iniciou sua leitura e mudou algumas vezes de posição, pois não estava tão confortável como no dia anterior.

Sebastian apareceu depois de trinta minutos, cumprimentando-a e deixando-a à vontade para ler. Desceu as escadas e organizou o espaço para o treino com magia.

Após três horas, Amelin finalizou a leitura do livro, avisando ao treinador que havia acabado.

— Acabei, Sebastian.

— Ótimo! Você finalizou rápido.

— Sim, também me assustei. Boa parte do livro foi lida ontem e também contém muitas imagens e mapas. O que faremos agora?

— Vamos repetir o treino de ontem e depois começaremos a treinar magia. A diferença é que eu aumentarei as dificuldades e velocidades.

— Tudo bem — respondeu, sem questionamentos e comentários adicionais. Nem parecia a mesma Amelin de sempre.

Após repetir todos os exercícios do dia anterior, Sebastian preparou um pentagrama de proteção no chão, feito com giz, ao redor de Amelin, que estava no centro do desenho.

— Fique exatamente onde está. Vamos começar com o princípio básico. Você deve pensar no que deseja fazer com seus poderes. Por exemplo, se algum objeto ou local estiver pegando fogo, você deve pensar em água. Quando você conseguir canalizar a sua energia, o corpo vai ficar dormente por alguns segundos. Seu pensamento deve estar concentrado em liberar sua energia. Tem alguma dúvida?

— Só não entendi o que devo fazer agora. Como será a prática da minha magia?

— Calma, ainda vou chegar lá. Tem mais alguma dúvida?

— Não, senhor — disse, zombeteira.

— Fique exatamente onde está. Eu já volto.

— Tudo bem, mas posso pelo menos sentar?

— Que seja, mas fique aí. Preciso pegar mais uns materiais para o próximo exercício.

Sebastian saiu da sala de treinamento por alguns instantes, voltou segurando dois bancos de madeira — um em cada mão —, voltou para o lado externo e trouxe mais dois baldes de ferro que pareciam pesados. Pelo o que Amelin percebeu, seu treinador voltara em menos de dois minutos, carregando os objetos. Não pôde deixar de admirar-se com a força dele; "nossa, ele é muito forte mesmo. Parece que os baldes estão cheios de água", pensou, enquanto o olhava e aguardava orientações. O homem depositou cada balde em um banco

— Agora, preste muita atenção. Está vendo os baldes em cima dos bancos? — Ela assentiu. — Um deles está vazio e o outro está cheio até a borda com água. O objetivo desse exercício é você transportar a água de um balde para o outro, usando seus poderes.

— Como farei isso?

— Você deve movimentar com as mãos, inicialmente. Dessa forma aqui... — Sebastian mostrou os movimentos com as mãos. Sinalizou duas formas de fazer o mesmo exercício: com o braço esticado e a palma da mão virada para cima ou com a palma da mão virada para a frente. — Existe mais de uma possibilidade de manejar a postura das mãos e braços para manipular seus poderes. Você deve descobrir como é melhor para você. Também costuma ser muito intuitivo, então é diferente para cada condutor. E lembre-se das informações que passei: pense, concentre-se e esvazie a mente. Comece a tentar sozinha por, pelo menos, dez minutos. Caso não consiga, de fato, vou intervir. Combinado?

Illuminata NaturaeLeia esta história GRATUITAMENTE!