Capítulo 24

1K 73 35

           Olho pro lado de fora do carro e vejo um homem que não conhecia, mas sabia que era da gangue que pegou o meu irmão. Então atiro no ombro e na perna do cara. Não queria matar ele, eu não sou de matar. Na hora que ele cai no chão o meu irmão e a Letícia aparece.

Daryl: Precisava fazer isso?- entraram no carro.

Eu: Eu não quero morre e nem me arranhar,  tenho que ir a uma festa de gala.

Letícia: O que vocês vão fazer?- pergunta desesperada.

Eu: Só se segura.- vejo o sinal de trânsito ficar verde e começo a acelera.

            A gente pelo jeito íamos dá um volta pelo quarteirão, então começo a celarar mais ainda, mas eles tinham trapasseado. Um dos capangas tinha atirado na direção do meu carro.

"Há se eles arranharem o meu carro, vão te pedido pra morrer mesmo"- penso

        Então resolvi usar a minha técnica. Estávamos perto onde seria a linha de chegadas, então eu levanto uma tampa que tinha no painel do meu carro, que aparece um botão, aperto na hora. Esse botão meio que dá mais potência no meu carro e nisso eu ganho a corrida. Quando eu freio o meu carro, eles jogam o meu irmão pra fora da van e metem o pé.

Letícia: Matt!- sai correndo pra direção do meu irmão e eu pego o meu celular.

Daryl: Você vai mesmo ligar para o seu pai?- fala me olhando.

Eu: Com certeza, vou pedir para que ele mande alguns capangas dele vim pra cá e levar o meu irmão para o hospital particular do meu pai.

Daryl: Ok, vou pegar...- antes de ele termina eu vou até o meu irmão, seguro ele no meu braço e logo vem o Daryl para ajudar.

Eu: Matt só não dorme, eu vou resolver tudo isso.- vejo que ele estava um pouco mole.- Merda, não vai dar tempo de ligar para o meu pai. Vamos logo pro hospital, no caminho eu ligo.- o Daryl coloca ele na parte de trás do meu carro, a Letícia entra e senta no lado dele.- Letícia o que você acabou de ver não é pra contar pra ninguém, ok?- falo olhando pro olho dela.

Letícia: Se isso fazer bem ao meu Matt, eu fico quieta, eu faço tudo.

"Ela ama mesmo meu irmão, não é igual a filha da puta da Lana"- penso.

Eu: Letícia não deixe ele dormir, se não pelo estado dele pode desmaiar e vai piorar a situação dele.- ela assenti.- Daryl ligue pro meu pai e passa pra mim.- ele pega o meu celular, enquanto isso eu começo a dirigir e cortando vários carros.

Daryl: Ele não está atendendo.- fala desesperado.

Eu: To nem aí, não vou levá o meu irmão em hospital que vai nos olhar com um olhar  de nojo.- entro em uma curva fechada quase batendo em um carro.

Daryl: Toma cuidado.- fala já se segurando na porta.

Eu: Falou o cara que nos meteu nisso- vejo o abdome dele ficar rigido- Desculpa é que eu estou preocupada.-  chego em um prédio "abandonado", onde que fica o hospital e os negócios do meu pai.

             Entro com o meu carro na estacionamento, quando eu abro a porta vejo que o meu carro já estava cercado de atiradores, mas um abaixa a arma e o reconheci de longe.

Eu: Jonny saudades.- falo e dando o sinal pra todo mundo sair do carro.

Jonny: Fala aí guerreirinha.- olha pro meu irmão e vê a situação dele.- Quero que vocês trazem quatro médicos pra cá e uma maca pra ele, AGORA!- todos saem só fica um homem que provavelmente é o Guarda-costa dele.

Is it love? RyanLeia esta história GRATUITAMENTE!