Prólogo

272 8 0

O alarme do celular ressoava enlouquecidamente enquanto Lara tentava, às cegas, desligá-lo. Eram apenas seis horas da manhã de uma sexta-feira. Mas era a sexta-feira. Ao se lembrar do que deveria fazer, a garota estremeceu e o silêncio reinou mais uma vez no quarto.

Nada mais fazia o menor sentido! Lara estava irritada e não sabia como impedir que a frustração a controlasse naquele momento. Espreguiçou-se na cama sentindo um desconforto no estômago e virou a cabeça em direção à colega de quarto, que ressonava, totalmente alheia ao que acontecia à sua volta.

Então resolveu sair de baixo das grossas cobertas cor-de-rosa em silêncio, para não acordar Irene, e calçou a pantufa. Caminhou com lentidão até a janela do dormitório e observou a paisagem.

O tempo estava diferente. O sol aparecia timidamente por detrás das colinas verdes e em breve cobriria todo o jardim com luz e calor. As colinas pareciam cada dia mais vivas e belas. Não havia nuvens no céu. Uma brisa gelada entrou pela janela entreaberta e Lara esfregou os braços na tentativa de impedir que outro calafrio a dominasse.

O que é a Instituição para Jovens Prodígios?, fez o questionamento que mais temia a si mesma e suspirou.

Um ronco tirou-a de seus pensamentos, forçando-a a se virar e encarar a melhor amiga. Logo as coisas se explicariam e ela poderia contar tudo para Irene. Não haveria mais segredos nem mentiras. Finalmente teria as respostas que tanto buscava.

Antes disso, entretanto, Lara precisava tomar uma decisão.

Uma decisão mudaria tudo dali para frente.

Instituição para Jovens Prodígios - A Seleção (livro um)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora