Capítulo 21

861 73 38

Ryan: Senhor Willian.- comprimenta o senhor que tinha uns cinquenta e poucos anos.

Willian: Senhor Carter.- vira e me olha- Provavelmente a assistente do Senhor Carter?

Eu: Prazer me chamo Aléxia Ortega.- aperto a mão dele.

Willian: Prazer.- olho pro lado dele e vejo um homem com cara de vinte e poucos anos.- Há esse é meu filho Bruce Clarker.- o Ryan comprimenta ele e eu dou só um sorriso.

Bruce: Prazer em conhecê-los.

Ryan: Então vamos falar do projeto.- todos se arruma na cadeira.

O Ryan e o Willian estava numa negociação daquelas. Enquanto eu presto atenção na conversa dos dois, vejo o filho mimado do Willian me olhando como se fosse uma joia cara. Quando derrepente o meu celular começa a tocar, olho pra tela e vejo o nome do meu pai.

Eu: Com licença, problema de família.- saio da mesa.

*Ligação on*

Eu: Oi pai. O que o senhor quer?

Pai: Filha eu descobri uma coisa, que você não vai achar nada legal.

Eu: Fala.- falo meio agoniada.

Pai: Então, soube que seu tio mando a filha dele pra Nova Iorque.- lembre logo da pianista da banda do Colin.

Eu: Pai eu acho que tenho uma suspeita de quem seja, mas não confirmo muito.

Pai: Já tá ótimo. Mande alguma coisa para fazer o teste de DNA, caso de positivo sabe o que tem que fazer?

Eu: O básico, mas eu não vou tortura-la. Já é demais.

Pai: Relaxa eu mando um homem meu.

Eu: Pai eu só estou te ajudando com isso, só por causa do senhor e do meus irmãos.

Pai: Eu sei.

Eu: Pai eu tenho que ir, estou em uma reunião.

Pai: Ok, tchau bebê.- brinca comigo.

Eu: Tchau velhinho.- escuto ele rir.

*Ligação off*

Volto a entra dentro do restaurante, vejo que eles terminaram a conversinha. Quando volto a sentar, eles viram e ficam me olhando.

"Fiz alguma merda"-penso.

Willian: Senhorita Ortega.

Eu: Sim?- dou um sorriso.

Willian: O que você achou do plano do Ryan, em colocar água potável na África?

"Caralho esse filho de puta, falou isso mesmo."-penso.

Eu: Eu acho um excelente ideia. Fornecer água potável pra gente que precisa é maravilhoso.-me arrumo na cadeira- Imagine o senhor morando na África e perceber que o único meio de água para o senhor e seu filho beber, é uma água onde os animais bebem e defecam. Como o senhor ia se sentiria se uma pessoa que poderia gastar muito bem o dinheiro dela em carros em ajudar o senhor. Se fosse eu ficaria maravilhada.- termino de fala e olho nos olhos dele e percebo que ele está surpreso.

Willian: Escolheu uma excelente assistente. Eu vou ajudar o senhor com o projeto.- dou um dos meus melhores sorriso.

Ryan: Obrigada. Parece que sim.- olho pra ele e ele me dá um sorriso de lado.

Is it love? RyanLeia esta história GRATUITAMENTE!