Capítulo 34

8K 891 1K

Harry suspirou enquanto jogava um livro particularmente pesado em sua mochila. Era uma manhã de segunda-feira, e seu primeiro dia de volta a escola depois do que pareciam anos.

Ele ficou chateado quando sua mãe voltou da reunião com a escola e lhe disse que não iria deixá-lo faltar mais nenhum dia. Eles disseram que ele não tinha uma razão boa o suficiente para continuar a perder aulas.

Isso é o que mais havia deixado Harry bravo.

Ele provavelmente tinha a melhor razão do mundo para faltar. Ele havia testemunhado algo horrível, atualmente estava sofrendo do que ele acreditava ser transtorno de estresse pós-traumático, embora ele nunca fosse admitir isso, e ele ainda estava cuidando de Louis. Seu doce e perfeito Louis.

Essa era a parte boa, Louis não teria que voltar. Ele, apesar de tudo, ainda estava se curando da quantidade de abuso que seu corpo sofrera e a cirurgia que tinha feito.

Harry estava feliz e ao mesmo tempo ansioso.

Ele estava feliz por Louis ter ganhado mais tempo para se curar não só fisicamente, mas mentalmente também.

Mas o adolescente não podia deixar de se sentir ansioso por deixar Louis sozinho.

E se Louis precisasse dele? E se ele tivesse um ataque de pânico e Harry não estivesse lá para acalmá-lo?

E se eu tiver um, e Louis não estiver lá para mim?

Isso é o que realmente assustava Harry.

Ele precisava de Louis.

Ele precisava da única coisa que mantinha seus demônios à distância, a única pessoa capaz de fazê-lo se sentir seguro, e o único que o acalmava quando sua imaginação voltava ao ocorrido.

“Você vai ficar bem”, Louis disse a ele, quase como se pudesse ler a mente do rapaz.

Harry deu um sorriso fraco. “Como você pode ter tanta certeza?”

“Porque eu estou aqui, apenas um telefonema de distância,” ele confortou. “Além disso, você terá Niall, que eu tenho certeza que não vai sair do seu lado.”

Harry riu. “Sim, ele já me disse que iria segurar minha mão e tudo mais.”

Louis riu e revirou os olhos ligeiramente. “Ele está com saudade.”

“Eu sei. Sinto-me mal por ter ficado tanto tempo sem vê-lo. Eu só... é difícil ficar longe de você, e é difícil deixar outra pessoa perto de você.”

“Eu me sinto da mesma forma.”

“Sério?” Harry perguntou. “Então, eu não sou louco?”

“Bem, você é um pouco louco”, Louis brincou. “Mas eu sei completamente o que você quer dizer. Ainda é difícil para mim ter certas pessoas ao meu redor. Não sei por que, mas simplesmente é.”

Harry franziu o cenho. “Você parece estar bem com minha mãe.”

“Isso é diferente. Ela... faz-me lembrar de minha própria mãe.”

Harry caminhou ate o menino menor e o puxou para um abraço apertado. “Você sente falta dela, não é?”

Louis acenou com a cabeça no ombro de Harry. “Muito. Anne me disse que ela está melhorando. Até se ofereceu para me levar para vê-la. Mas eu estou com medo.”

Harry esfregou sua mão pelas costas de Louis.

“Estou com medo de vê-la tão fraca na cama do hospital. Estou com medo de vê-la ligada a máquinas enquanto está inconsciente. Eu não acho que seja corajoso o suficiente.”

More Than Meets The EyeWhere stories live. Discover now