Retórica

35 7 1
                                    

"Não tenha medo minha doce criança, pois eu irei devora-lá."

Foi o que disse em alto e bom tom a figura gigante e grotesca em frente ao Sr Jackson. Assustado Jackson rapidamente se levanta, ainda ofegante e meio desnorteado começa a olhar em volta e tenta entender o que está acontecendo. Além da silhueta de uma figura aterrorizante a sua frente ele só consegue ver em volta o que aparentam ser paredes e um teto de pedra bruta. Ele não é nenhum conhecedor da natureza mas com certeza sabe que está em uma caverna. Um cheiro de chorume misturado com "bosta" entra pelas suas narinas. (com aquele odor eu não poderia lhe dizer que aquilo cheirava a fezes)
Jackson percebeu que o monstro tinha acabado de abrir a bocarra. Seu coração acelerou e suas mãos começaram ficar frias e molhadas. Na hora veio um pensamento em sua mente "Converse com ele" ele era um advogado formado e poderia quem sabe dissuadi-lo. Por mais que fosse um ser que nunca tinha visto, ele falava e se tinha fala provavelmente poderia pensar e se pensava poderia mudar de opinião.
Jackson estufou o peito e disse:

- Antes de mais nada eu gostaria de me apresentar me chamo Nolan, compreendo que por algum motivo você deve querer me devorar. Mas antes que você conclua o seu plano. Posso contar a minha história?

A criatura que estava com uma respiração rápida e descompassada, agora já tinha fechado a bocarra, soltou um grunhido que o Sr Jackson entendeu como um sim. Então ele prosseguiu:

- É... Bem. Eu sou filho de pais que vieram de uma pobreza extrema, sempre convivi com a miséria e com a desilusão. Mas mesmo assim foquei e me mantive firme, busquei conhecimento e por meu próprio mérito consegui um ótimo emprego, uma linda família e uma vida financeira estável. Agora aguardo ansiosamente pelo nascimento do Ben já que a  minha esposa teve alguns abortos consecutivos desde então  busco aproveitar a vida ao máximo. Tenho ajudado aos outros sem pedir nada em troca e nunca com toda certeza fiz algo que pudesse te irritar ou pelo ferir a sua existência assim peço encarecidamente que não me mate...

O Sr Jackson ouviu uma longa respirada lenta e profunda na hora refletiu que em nenhum momento fora interrompido e provavelmente a criatura compadecera pela sua história de vida. Com um alívio no peito pensou, minha dialética ainda está em dia. E nem foi o discurso mais acalorado e refinado que já arquitetei. Como quando livrei aquele figurão de pagar pensão ou aquele assassino psicopata que até hoje me causou arrepios!

A única coisa que conseguiu se ouvir foi um enorme estalo, depois algo sendo triturado e posteriormente o silêncio absoluto.

E uma voz ecoando por toda a gruta:

- Hm... delicioso, como as suas palavras.

Contos de Lugar NenhumOnde as histórias ganham vida. Descobre agora