Capítulo IX - Episódio 33

8 0 0
                                                  

Os planos de Anita estavam começando a dar errado. Depois do assassinato do Enlouquecido, a pequena tropa havia fugido novamente para as ameias e, então, os Geomantes tomaram a Ala Mestra e a Torre da Visão.

Pelo rápido relatório que teve, o grupo de Sabrina havia aberto à força uma das colunas de pedra que trancava a porta principal. Depois de uma conversa, enquanto um grupo protegia o Círculo de Pedras, o outro avançou pela Ala Mestra, expulsando os Terras-Ruins de lá.

Quando recebeu a notícia, Anita se apavorou. O que seria de agora em diante? O plano de Shidra era matar o Enlouquecido, mas o que isso mudaria na batalha que estava acontecendo? Ao mesmo tempo em que fizeram todo esse esforço para assassinar o mestre Clarividente, as tropas Terras-Ruins estavam levando um revés no Distrito Operário, pois o exército de Porto das Pedras avançava, matando civis, refugiados e Terras-Ruins. Tudo que cruzava o caminho deles era apenas um pequeno empecilho para restaurar a ordem.

A tomada da Cidade Alta também não ia bem. Invadir o Círculo de Pedras parecia impossível. Quem arquitetou aquele lugar pensou em uma verdadeira fortaleza. A arquitetura da construção, somada às habilidades dos Geomantes, fazia a invasão ser uma das mais difíceis da história.

E, além de tudo, havia um exército desconhecido na Cidade Alta, o que tornou a tarefa ainda mais árdua.

Por fim, os líderes da rebelião Terra-Ruim se reuniram no quartel para planejar os próximos passos.

— Temos poucas escolhas — disse Shidra, tirando a bandana vermelha. — Temos armas poderosas, mas receio que não poderemos ir mais longe com elas.

— O morteiro não está dando conta — disse Rapu Awad, limpando o suor da testa. — O nosso exército da Cidade Alta está empacado. O morteiro não atravessa o escudo e os inimigos nos atacam pelas costas. Se voltamos para nos defender de um grupo, outro nos ataca.

— Mas estamos divididos — disse Anita. — Talvez seja interessante colocar as nossas forças em um único lugar. Talvez todas nossas armas juntas consigam derrubar o escudo do Círculo de Pedras, então poderemos usar a estrutura para nos defender dos grupos que estão do lado de fora.

Nesse meio tempo, um Terra-Ruim entrou na sala e cochichou algo no ouvido de Shidra Muhhab.

— Concordo com Anita — disse ele, depois de ouvir a mensagem. — Vamos levar os canhões e o morteiro para a Cidade Alta e vamos disparar contra o escudo da Torre. Usaremos os canhões para derrubar as colunas de pedra nas portas. Usaremos nossos "cospe-fogo" para ajudar. Vamos com tudo. Quebrando o escudo ou as colunas, entraremos.

Todos assentiram e iniciaram os planos.

Anita ficou com uma pulga atrás da orelha.

O que dizia a mensagem que ele recebeu?

O plano correu conforme o planejado. Os Terras-Ruins, reunidos, abriram mão do Distrito Operário e usaram tudo que tinham contra o Círculo de Pedras. Em poucos instantes, o escudo caía e as colunas eram removidas.

Entraram com tudo.

Mas Anita sentiu o mau presságio que todos também sentiram. A queda da Pira do Sol trouxe a escuridão.

— Vamos, Anita! — Gritou Shidra. — Só resta tomar o Pináculo.

— Vamos invadir a Ponte?

— Extensão dos Ventos. Sim, as últimas forças estão lá. Ordenei que, enquanto avançamos, alguns fiquem para fechar as entradas da Torre para nos trancar aqui dentro.

Ainda sem entender o plano do colega de revolução, Anita seguiu sem questionar. O grupo invadiu pela segunda vez naquele dia a Ala Mestra. Dessa vez, dominando-a por completo e fechando todas as entradas possíveis.

A saga dos filhos de Ethlon I - Porto das PedrasOnde as histórias ganham vida. Descobre agora