🥀 T de Trauma 🥀

536 104 257

Há uma guerra na minha mente, [

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Há uma guerra na minha mente, [...]

Corações partidos e tempo perdido,

tentando resolver tudo

Dê uma olhada nos meus olhos,

tenho um coração de pedra agora

(pedra agora)

Low | Lund


Era um pesadelo. Um pesadelo. Mesmo que eu nem tenha conseguido coragem de sair de debaixo das cobertas nessa manhã cinzenta, eu já estava sabendo que a tinha que aguentar as consequências agora que a merda tinha sido jogada no ventilador.

A vontade de ligar o foda-se era tremenda.

Ainda mais depois de abrir o aplicativo repetidas vezes e ver meus seguidores indo embora aos milhares. Como desgraça pouca é bobagem, meus nudes agora não somente estavam em todo site de fofoca de má índole que se preze, estava também hospedado em um monte de site pornográfico onde eu era uma "garota russa e safada querendo uma aventura".

Parei de atualizar os contadores depois de um tempo e desliguei a internet. Era melhor tentar ficar longe de problemas por um tempo, especialmente nos que esse vazamento de minhas fotos tinha causado.

Meu único erro nisso tudo, foi ter confiado demais.

Como uma tola, achei que tinha achado alguém que respeitaria meu corpo e meu compromisso. Me fodi legal quando fui ficar com alguém que não respeitou nenhum dos dois. Eu devia ter quebrado o celular de Chad na cara dele quando tive a oportunidade.

Pego o celular outra vez e ligo, por que sou teimosa e gosto de me chafurdar na lama, e ativo a rede de dados. Atualizo o Instagram e faço as contas. Perdi quase cinquenta mil seguidores em dois dias. Recebi alguns e-mails de patrocinadores e dois deles já tinha vazado após o auê que tudo estava causando.

As mensagens eram a pior parte. Ser chamada de vadia por milhares de pessoas, até das arábias, era a pior coisa para ser fazer antes de tomar café-da-manhã.

Ouço batidas na porta e sei que é Lucca. Ele sempre vem me visitar no horário do almoço, quando sabe que já acordei, e eu me levanto preguiçosamente para atender.

Enrolo um roupão ao redor do corpo e belisco as bochechas para dar um toque de cor antes de encarar Lucca e seus olhos verdes avaliadores. Ele está trazendo bastante guloseima para mim nesses dias, e eu estou engordando um pouco, acho que um quilo. Tomara que vá, pelo menos, para os peitinhos e para minha bunda.

— Veio mais cedo do que eu esperava. – Digo tranquilamente ao abrir a porta. Meu sorriso morre no rosto ao ver que quem está do outro lado não é quem eu esperava.

INGRID MAYERLeia esta história GRATUITAMENTE!