💤 Eu não precisava acordar cedo, mas... 💤

459 99 289

Todo o tempo

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Todo o tempo

Meu amor você está na minha cabeça

E eu não sei o porquê

Sim, mas o sentimento é bom

Você não pode ver

Querida você é para mim

Embora não era para ser

Dancin' | Aaron Smith


Quando Lucca me deixou diante da porta do meu quarto, precisei de toda a força que existia em mim para não pedir para que entrasse comigo. O fato de Linda provavelmente estar lá dentro me encheu de coragem.

— Vai ficar bem? – Lucca perguntou antes que eu entrasse. Suas mãos no bolso, polegares para fora, completamente dominador, completamente lindo de se ver.

— Sim. – Disse num tom baixo para que Linda não nos ouvisse – Desculpe por não ter aliviado a pressão lá embaixo.

Acenei com o olhar para seu amiguinho que devia estar totalmente infeliz dentro da calça. Lucca sorriu baixo e abaixou um pouco para encostar um beijo em minha boca. Nossa respiração ainda tinha cheiro e gosto de champanhe e vodka.

— Serei cavalheiro com você até que esteja à vontade comigo.

— Por que? Depois vai deixar de ser?

— Por que depois que estiver dentro de você não sei se vou conseguir ficar muito tempo sendo bonzinho.

— Ui, arrepiou tudo. – Disse aliviando a tensão que tinha ficado no ar. Eu não ia conseguir dormir bem se ficasse imaginando um Lucca sujinho e nem um pouco bonzinho me fazendo cavalgar sua cara.

— Agora vai dormir. – Disse num tom autoritário, levemente autoritário, enquanto me fazia virar e já abrir a porta do quarto. – Amanhã temos que ir fotografar na casa do meu cliente.

— Que tom é esse, Lucca? – Dava para ver o desejo estampado em seu olhar. Eu estava me sentindo divinal por ser a responsável por seu destempero.

— O tom de um homem capaz de fodê-la nesse corredor se não parar de fazer esse beicinho. Vai dormir.

— Sabe, não seria uma má ideia. – Olhei para as paredes em busca de alguma câmera, infelizmente tinham duas, uma no final de cada lado do corredor – Uma pena que eu ainda não goste tanto de escândalos. Me dá um beijo, cheirinho de café. – Disse puxando-o pela camisa.

Sua boca encostou à minha antes mesmo de eu terminar a frase. Seu beijo era uma promessa de todas as coisas sujas que queria fazer comigo.

— Bom descanso... – Disse quando se afastou me deixando sem ar e com a boca aberta feito uma besta. Esse homem gostava mesmo de me provocar.

INGRID MAYERLeia esta história GRATUITAMENTE!