fake smile, sad night

2.8K 341 126
                                    

- Justo na época de comeback, em poucos dias para lançar o álbum e vocês me aparecem do nada com esse ato de irresponsabilidade? Mas sinceramente, eu não esperava menos de vocês, vocês estão sempre brincando em vez de se concentrarem e fazendo o que não se deve fazer. Até o Mark que era pra colocar vocês na linha está mais relaxado. Você é adulto agora, sabia? Tem que agir feito um...

Os sete garotos escutavam aquelas milhares e milhares palavras ruins do manager justo nesse horário. Já tiveram que dormir tarde devido à prática excessiva, e foram acordados a esse horário para receber uma bronca daquelas. O comeback era em alguns dias e eles estavam se esforçando mais do que antes, e não imaginavam o motivo da bronca. As palavras não os machucavam mais, já ouviram coisas piores em seus anos de trainee. Mas parecia que as sete mentes foram despertadas quando ouviram aquilo que eles pensaram que não iriam ouvir:

- E outra coisa: Escândalo de namoro entre vocês é o que eu menos quero ver ou ouvir entre vocês, ouviu? Se eu pegar um de vocês beijando ou fazendo qualquer coisa, é punição na hora! É momento de focar no bom trabalho, não nisso.

Foi difícil tentar conter uma reação. Foi dificil tentar agir como se nenhum dos garotos naquela sala não fossem parte da comunidade LGBT+ sendo que os sete eram. Mesmo depois de estarem totalmente assustados com a ideia de descobrirem das relações de cada um, tudo o que conseguiram fazer quando o manager deixou a sala foi rir de nervoso. Porque, bom, eles estavam muito encrencados.

- A gente tá muito muito fodido. - Jeno disse enquanto ria. Os outros não fizeram nada além de concordar, eles estavam rindo mas o medo de descobrirem era maior, então brincar com a situação era melhor do que se preocupar com ela.

- Ai caralho, quando eu penso que não pode ficar pior a vida vai lá e come meu cu sem lubrificante. - Mark disse enquanto passava a mão nos cabelos. Rindo em seguida após perceber o que tinha acabado de falar.

- Vai comer mesmo é o cu do Nana quando descobrir que ele é o mais gay daqui e tem um namorado e quer mais um. - Donghyuck disse enquanto se sentava no chão.

- Credo, gente. Parando pra pensar isso me fez dar uns trinta passos pra trás pra me assumir. Eu só queria andar pela empresa com a bandeira da Pansexualidade. - Jaemin suspirou, sentando ao lado de Donghyuck.

-... "Comer meu cu sem lubrificante" - Renjun riu ao lembrar o que o hyung havia dito, fazendo o mesmo hyung rir novamente.

- Meu Deus, a escravidão e a vida adulta tá me fazendo sucumbir à loucura. - Mark continuava rindo.

- Para, louco você sempre foi. Vamos praticar. Em nome da juventude... - Jeno tentou terminar, mas Donghyuck completou antes.

- Da rola e dos garotos não assumidos.

- Verdade. Não podemos esquecer desse detalhe.

[...]

Como haviam cobrado, os garotos se esforçaram na prática mais do que antes, criaram algumas piadas internas e brincaram um pouco, mas sem perderem o foco do que realmente tinham que fazer. O ensaio foi bom e passou rápido, mas parecia que tinha algo faltando.

Era o silêncio de um dos membros.

Chenle e Jisung brincavam com os membros uma vez ou outra, mas parecia que hoje eles estavam mais quietos do que de costume. Principalmente Chenle que é o mais barulhento, foi um dos primeiros à sair da sala de prática quando o ensaio havia terminado. E Mark percebeu isso.

Mark sempre era o primeiro a perceber quando os mais novos estavam mal, e era o seu dever de irmão mais velho perguntar o que houve para tentar ajudar. Procurou Chenle por todos os cantos da empresa, e viu que ele realmente tinha voltado pro dormitório primeiro do que os outros. Chenle queria mesmo ficar sozinho, e aquilo fez o coração do mais velho apertar, já que Chenle não é de ficar profundamente chateado com algo.

Foi correndo até o dormitório à procura do garoto de cabelos verdes, começando a pensar na ideia que Chenle poderia não ter ido pra lá, mas sim dado uma volta para ter um tempo pra si mesmo. Mas seus pensamentos mudaram quando viu o mais novo sentado no chão da sala, sozinho, com um olhar chateado, fazendo Mark se aproximar lentamente.

- Oi, Lele. - Mark falou baixo, sentando-se ao lado do mesmo. - Você saiu mais cedo hoje e não falou tanto hoje, aconteceu algo? Você pode me dizer-

Mark olhou para o ombro do mais novo, percebendo que tinha algo ali que estava coberto pela camiseta preta que ele usava, como se fosse um hematoma. Aproximou os seus dedos para tentar checar o que era, recebendo um olhar negativo de Chenle, que puxou um pouco a blusa para cobrir mais.

- Bateram em mim ontem.

We Go Up! (nct dream)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora