Capítulo 25 - A espada com alma

11 2 0

Estava escuro e frio.

Tetsuko tentou expandir seus sentidos, mas nada mudou. Não posso sentir nada além desta sala, pensou.

Por um instante, ela pensou que tinha morrido de novo e flutuava entre os mundos. Mas sabia que não era isso. Ela não morrera outra vez.

A alma dentro da espada sabia o motivo.

Era por causa de sua nova bainha.

O ferreiro não precisou trabalhar muito nela; não havia um único arranhão na lâmina. Após limpar e a polir, ele fez uma nova bainha com aquela madeira avermelhada estranha.

Tetsuko aguardou ansiosa por seu novo lar.

Quando era humana, ela só fazia as bainhas por conta própria quando sentia que a espada era uma obra de arte. As outras ficavam a cargo do aprendiz. Foi o mesmo que seu pai com ela.

Quando o ferreiro terminou e envolveu-a com os dedos, a energia de Tetsuko saiu do controle. Foi só um pouco, mas o bastante para fazer o homem gordo derrubá-la.

Após encarar a espada com um rosto barbudo cheio de suspeitas, ele guardou a espada dentro da bainha.

Ela se sentiu ótima. Era a primeira vez que sorriu de alegria desde que veio para este mundo.

É como receber um banho quente após um dia gelado...

Ela ficou feliz demais para perceber na hora.

Até enquanto o ferreiro a colocou na estante junto às demais espadas, Tetsuko só conseguia pensar no quão agradável sua nova bainha era.

Mas, após fechar os olhos e deixar a mente divagar, ela percebeu que seus sentidos ficaram menos precisos.

Antes, alma na espada podia ouvir e, acima de tudo, sentir muito mais do que sua visão permitia. Mas, agora, esses dois sentidos eram tão limitados quanto à sua visão.

Ela não pôde nem sentir o ferreiro vindo na manhã seguinte.

É a bainha, compreendeu, toda sua felicidade sobre seu novo lar desaparecendo como se nunca tivesse existido.

Com muito esforço, apesar de seus sentidos limitados, ela pôde sentir a mesma energia corrompida emanando da madeira.

Mas como isso pode ser possível?

Tetsuko pensou muito, mas não chegou à conclusão alguma.

Por enquanto, vou focar no que posso controlar.

Quando a noite chegou e ela ficou sozinha, a alma dentro da espada fechou os olhos que não tinha.

Foco... Preciso me focar em mim mesma... focar em minha energia e ignorar a energia corrompida que me envolve...

Foi pouco, mas ela podia sentir sua própria energia. Então Tetsuko a fez diminuir de velocidade até quase parar.

Bom...

Apesar de não ter pulmões, ela respirou fundo e separou uma pequena fração da energia, fazendo-a se mover junto ao fio de seu corpo de metal.

A partícula da gelada energia azul foi da base do cabo até a ponta da lâmina, depois voltou para o outro lado.

Este é o limite do meu corpo...

Este é o limite da minha lâmina...

Mas sei que não estou limitada à ela...

Re;BladeLeia esta história GRATUITAMENTE!