Capítulo 26 - Trem

666 87 159

Oiee... sem revisão, pois o sono está tenso e vou ser sincera que estou postando porque estava sendo ameaçada. Ainda acho que poderia melhorar, então tomara que gostem. O capítulo será maior que os outros.
Não esqueçam que OMDA tem uma comunidade no Amino, caso queiram participar, o link está no perfil. Boa leitura!

~**~

Certamente, naquela missão, eu já havia enfrentado seres inimagináveis e sempre pensava nos mais inusitados que ainda poderiam cruzar meu caminho, mas um fantasma? Isso não estava nem nos meus sonhos mais complexos. Durante toda a minha vida fugi dos filmes de terror, eu me sentia em pânico com aquelas imagens perturbadoras... Meus sonhos já eram coisas demais para aguentar. Porém, na realidade sempre pensei em fantasmas como seres inexistentes. Minha única referência do cinema era Gasparzinho, mas com certeza aquele ser em minha frente não era tão engraçado, nem fofo... e muito menos um amiguinho camarada.

- O que é você? - Chris perguntou puxando-me para mais perto

- Você é o amigo de Caira? - Benjamin deu um passo para mais próximo do grupo. Havíamos formado uma espécie de barreira sem perceber.

Ao redor, o vento ficou mais forte, uivando cada vez mais alto e isso já era o suficiente para fazer um arrepio subir por minha espinha. As vigas de madeira no teto rangeram e não havia mais ninguém ali além de nós e do Gasparzinho do mal... Ótimo, era um cenário perfeito de filme de terror. Percebi que todos já traziam suas armas a postos, até mesmo Julie pegara a faca de Benjamin que estava na mochila. Era inútil, eu sabia, mas não importava, isso ao menos nos trazia um pouco da sensação de segurança.

- Bilhetes! - O fantasma gritou ainda mais alto, ignorando a todos. O mais aterrorizante era ter que encarar o vão escuro dentro do capuz que ele usava, onde deveria estar seu rosto. Notei pela primeira vez que também não havia mãos, apenas as mangas caídas da roupa escura.

- Nós não temos bilhetes - Julie sussurrou hesitante, mas o fantasma não a olhou.

- E nós conhecemos Caira, foi ela quem nos deixou aqui e... - As tentativas de Giovanna para amenizar a situação se perderam no ar quando ela percebeu que ele sequer a olhava.

O frio não me deixou, enquanto o fantasma não tirava sua atenção de mim, como se esperasse algo. Todos me olharam em expectativa, como se eu pudesse adivinhar o que o fantasma pensava.

- O que? - Neguei com a cabeça - Eu também não tenho nenhum bilhete - Na minha mente, me questionava onde arrumaria esses tais bilhetes se o lugar onde poderíamos compra-los estava em pedaços.

O vento aumentou, jogando meu cabelo para todos os lados e o céu ficou ainda mais escuro. Uma tempestade se formava e eu não me surpreenderia se um grande furacão fosse iniciado e nos tragasse para dentro. O fantasma se moveu, ganhado minha atenção e me dando uma visão distorcida, bizarra e escura do restante da estação que era evidente no centro do seu corpo transparente. Ele inclinou a cabeça como se me avaliasse.

- Sem bilhete, sem viagem!

A voz era aterrorizante e obscura, se aquele era o tal amigo a qual Caira se referira, eu não conseguia enxergar o seu bom coração, por mais que ela tivesse pedido que não nos concentrássemos em sua aparência. Minha mente trabalhava o mais rápido que podia, mas a dor na minha nuca mostrava que eu estava exigindo demais dela. Não havia solução e os xingamentos mentais dos outros, direcionados a nossa guia, eram evidentes apenas por suas expressões.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!