Qual é o tamanho do seu sofrimento?

514 89 34

 Eu sei

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Eu sei.
Não tenho agido de forma correta e tenho magoado muitas pessoas ao meu redor.
Eu também sei que Vincent não me esperará para sempre, porém, quando se está tendo diversos problemas em casa, um namorico de escola é o menor deles.

Minha mãe está viva.
Sim, ela está respirando, exatamente como eu e como você. Me parece que após uma grande discussão, a qual fez com que ela saísse de casa, o meu pai resolveu se transformar em Deus e decidir quem vive ou morre.

Não está sendo fácil.
É bizarro observá-la cuidar de várias pessoas com carinho no hospital e, mesmo sendo filha dela, nunca ter recebido uma dose mínima deste sentimento doce.

Eles não entendem.
Virgínia alega que os pais não dão atenção à ela, mas eles dão. Tudo o que eu queria era uma família estabilizada.

— Precisamos conversar. — foi o que o meu pai disse pouco antes de jogar a bomba sobre meus ombros.

Me pergunto se ele pensou no impacto que aquilo teria sobre mim.

Eu não quis acreditar.
Passei semanas fugindo de qualquer coisas que me lembrasse que a minha vida toda foi uma farsa. Depois disso ainda teve a briga no colégio, na qual Vincent apanhou bastante e Doug teve que interferir.

— Você está bem?

Ainda estamos no hotel e a neve continua castigando do lado de fora. Conto os segundos para que este maldito passeio acabe de vez.

— Florence, você está bem?

E ele continua aqui, ainda que eu tenha triturado o seu coração.
Vincent é um garoto de ouro, e, por algum motivo, não consigo aceitar o seu amor. Eu não o mereço! Nunca mereci!

— Noora não está precisando de você agora? — meu tom permanece neutro, afinal, não falei por maldade.

— Eu não sei. — sinto o sofá balançar, indicando sua aproximação.

Confesso que senti falta do cheiro dele, e eu nunca pensei que isso aconteceria um dia.
  A minha vida se transformou em um clichê.

E eu odeio clichês agora.

Conversa comigo. — Vincent insiste. — Eu não vou dizer que você mudou porque não acredito nessas coisas. Para mim, ninguém muda da água para o vinho. Me diga, Florence Bingley, qual é o tamanho do seu sofrimento?

Por que você não desiste? — decido encara-lo. — Cara, eu ferrei contigo de todas as formas possíveis. Não me orgulho disso, Vince, mas eu fiz apostas sobre você! Eu inventei mentiras e tentei te colocar no fundo do poço! Tudo isso porque... porque...

  — Porque você também se sentia no fundo do poço. — ele afirma. — Tudo bem, eu supero fácil. Não estou mais com tanta raiva.

— Você sentiu raiva de mim?

Homeboy - amigavelmente amigável (livro 1).Where stories live. Discover now