Setembro VI

78 17 1

As consequências da dinâmica do barbante são quase que imediatas. Quando estamos saindo da sala B para voltar para a nossa, vejo a Natália e o Carlos discutindo sobre o que ela falou de "entrar para a família". Os dentes do meu primo estão trincados e os punhos, cerrados. Natália perde a paciência e o empurra, deixando-o ainda mais nervoso.

No dia seguinte, quando entro na sala de aula, percebo que ela tomou a carteira à minha direita, e que o William está com a cabeça deitada sobre a sua, do meu lado esquerdo. Não sei qual dos dois me causa mais espanto, então fico um minuto de pé observando até a sala começar a encher.

No meio da aula de biologia é que percebo que a dinâmica pode definitivamente ter mudado o rumo das coisas, porque de repente a Natália se vira pra mim e diz:

— Dani, pode me emprestar suas anotações da matéria da semana passada? Eu e a Isa vamos estudar na hora do almoço. Te devolvo ainda hoje, pode ser?

Pisco e demoro mais que o normal pra responder, mas digo que sim. Isadora me agradece baixinho atrás da carteira da Nat e, mais atrás na mesma fileira, meu primo está de braços cruzados sobre o peito inchado e orgulhoso, com cara de poucos amigos, como sempre. Ele percebe a movimentação das duas, eu sei, mas sua atitude é defensiva: só ignora. Por enquanto.

O modo como Renan me trata também muda. Ele está mais próximo, mais visivelmente carinhoso. No intervalo do almoço, ainda no dia seguinte, por exemplo, encontro a Karina sentada ao lado do Pablo no chão do terceiro andar. Os dois conversam e gesticulam muito, e noto a Juliana encostada no batente da porta conversando com o Renan. Ele me chama, me pega pelo braço, me puxa e me abraça por trás, colocando o queixo no meu ombro. Sinto meu coração se acelerar imediatamente, mas me forço a relaxar e me deixo escorregar no seu peito porque ninguém parece interessado no que nós dois fazemos.

Acho que isso é o máximo que vamos conseguir nesse colégio, e já estou surpreso com a felicidade que o gesto me traz e com a naturalidade com que o aceito.

Mas daí Renan e Juliana continuam conversando alguma coisa que eu não presto muita atenção até a Mariana aparecer. Ela me lança um olhar que temporariamente classifico como esquisito, e abraça a amiga de lado. Felipe aparece do nada de dentro da sala e se enfia no meio das meninas, hora ou outra comentando alguma coisa que sugere abertura pra mim e pro Renan falarmos com ele também.

Nós nos entreolhamos, mas conversar com o Felipe sabendo que ele estará sempre do lado do meu primo, e ainda com aquela pontinha de consciência me repetindo o que houve com eles e o Joel... é no mínimo desconfortável. Então seguimos cada um pro seu lado, mas sem muita animosidade.

As pessoas parecem mais amáveis de modo geral. Hora ou outra a Camila chega perto de mim na sala, conversamos bobagens e, quando menos noto, a Maria já está por perto, o Diego também e o resto todo da trupe. Eles estão próximos demais, parecem querer me incluir às vezes. Sinto uma onda de pânico com a ideia, mas não faço muito além de seguir em frente... Até o Luiz aparecer à tiracolo.

Tenho certeza absoluta de que algo vai muito fora dos eixos entre ele e o William quando, sem querer, presencio uma discussão. É na quarta-feira, depois da minha sessão com a psicóloga. Volto para a sala pra pegar dinheiro pro lanche e acabo interrompendo um momento dos dois. Luiz está sentado sobre a carteira e William, de braços cruzados, anda de um lado pro outro na sua frente. É ele quem me vê à porta, petrificado. Os dois abaixam o olhar, mas não sei se é minha deixa para entrar ou para virar as costas e fugir dali de vez.

Respiro fundo e, sem me atrever a passar perto, entro apressado e saio antes que cause mais problemas. Ouço a voz dos dois mais baixa quando passo pela entrada, mas definitivamente não estão conversando amigavelmente. Desço as escadas até o primeiro andar, me obrigando a tirar a cena da cabeça, e encontro Renan conversando animadamente com a Mariana em frente à secretaria. Como tem se tornado costume, ele me puxa e passa o braço pelo meu ombro, me encaixando perto de si.

Aprendendo a Gostar de Você {Aprendendo III}Onde as histórias ganham vida. Descobre agora