O primeiro a gente nunca esquece...

289 66 26

Não recordo a série ao certo em que estava, mas sei que não passava da 4° (5° ano agora). A aula era de Geografia, e olhando no meu belo relógio do ursinho Pooh vi que estava perto de acabar a aula. Aquela era a aula logo depois do intervalo (essa informação vai fazer mais sentido mais a frente).

O professor muito solícito foi fazer a chamada. Todos respondendo amigavelmente, e como meu nome começa com C, não demora muito pro professor falar o meu nome.

Só que em vez de falar o presente clássico e indolor, mal estou abrindo a boca, e eu já estou arrotando alto que nem uma vaca mugindo e simplesmente não consigo parar. Pensando agora, eu pelo menos poderia ter fechado a boca pra ver se o barulho diminuía, mas claro que fiquei ali de boca aberta e esperando aquele ar majestoso sair de mim.

Maldita latinha de refrigerante que eu tinha tomado na hora do recreio com uma bela e gorda coxinha, me traindo nos piores momentos.

A sala, claro, que caiu na gargalhada. Todo mundo tava rindo tanto, que o professor teve que tomar mais uns minutos da outra aula só pra conseguir terminar a chamada.

Ainda tive que explicar que aquilo tinha sido sem querer...

😎😎

E aqui foi o primeiro mico. Os relatos vão ser curtinhos assim mesmo, só pra descontrair. Lembrando que tudo que terá aqui será real. Tem muitos por vir, se aprocheguem, peguem uma pipoquinha e espero que se divirtam.

Alguém disse, vergonha alheia?Leia esta história GRATUITAMENTE!