Capítulo 42

7 1 2

Quando acordou, Nelson não fazia ideia de onde estava.

Que horas são?

Ele tentou mover o braço, mas estava pesado e desistiu. Então abriu os olhos com um pouco de esforço, mas tudo que viu foi uma escuridão profunda. Após piscar algumas vezes, sua visão se acostumou à escuridão e o nadador percebeu onde estava.

Estou no meu quarto... como cheguei aqui?

O nadador pensou por um instante.

Ah, é... lembro do Cris e eu voltando e todo mundo esperando com uma festa surpresa, lembrou Nelson com um sorriso. Acho que foi só uma desculpa pra beber de tarde, mas foi legal da parte deles.

Ele se divertiu comemorando com os amigos. Especialmente já que ele realmente voltou a ser um deles. Mas aquilo não impediu o sorriso de diminuir. Foi legal da parte deles, mas eu queria ter passado mais tempo com o Cris... Sei que ele entendeu, mas ainda assim...

Nelson soltou um suspiro. Então não pôde conter o sorriso enquanto pensava no namorado. Estamos juntos agora... não preciso ter pressa...

Quando os olhos se acostumaram à escuridão, ele percebeu que o algo escuro e pesado sobre seu braço era nada mais nada menos que o homem por quem se apaixonara.

Cris...?

O que ele está fazendo aqui? Na minha cama...

A gente... transou...?

Nelson tentou se lembrar de alguma coisa, mas não tinha memória de ter transado com o Cris. Então ele suspirou de alívio.

Estou feliz de não termos feito... Odiaria esquecer nossa primeira vez, pensou o nadador, corando um pouco enquanto assistia aquelas costas pequenas.

Antes que Nelson pudesse se impedir, ele envolveu os braços em volta do pequeno corpo e abraçou o mais gentilmente que podia sem acordar Cris.

Ele é cheiroso...

Nelson fechou os olhos e sentiu o calor emanando do homem que amava.

Se todos soubessem que estamos juntos, aposto que me deixaram escapar da festa mais cedo, ainda que eu fosse o convidado de honra... mas não sei se estou pronto para que saibam que sou gay...

Desde que admitiu para si mesmo o que sentia por Cris, Nelson andava lutando com isso.

Mas agora, enquanto abraçava o homem esbelto que o vinha lhe apoiando por tanto tempo, Nelson não se importava se os outros soubessem.

Na verdade, eu queria gritar que estou apaixonado por ele... Não ligo do que vão dizer... A última coisa que quero é esconder meu relacionamento e magoar Cris de algum jeito... Quero ser feliz com ele...

Se bem que acho que todo mundo viu a gente chegando de mãos dadas, ele lembrou, soltando uma risada fraca. Agora já era.

Nelson abraçou o assistente um pouco mais forte, mas ainda sem acordar o outro homem.

— Eu te amo — sussurrou.

— Eu também te amo — respondeu uma voz baixa.

Nelson arregalou os olhos, seu rosto com uma tonalidade forte de vermelho.

— Eu... ah... Desculpa... Eu não queria te acordar — disse o nadador, com uma voz envergonhada, feliz que Cris não se virara. Assim o assistente não poderia ver seu rosto vermelho. — Há quanto tempo você está acordado?

O nadador e o assistenteRead this story for FREE!