Cap 119- Olá cabelo de fogo.

3.1K 279 12

Oie pandinhas turu bom?
Já vou avisando que eu não sei fazer capítulo de sequestro,então vai sair uma merda provavelmente. Mas mesmo assim ja deixa logo a estrelinha.
Um beijo falows e fuii.😘❤💞
Boa leitura.

My~

Aqui não é o quarto do Gustavo,onde eu to? Levantei do colchão que eu tava,era um lugar bem feio credo,tinha uma janela que ficava no auto,tentei abrir a porta de ferro mas estava trancada.

Eu- SOCORROOOOOO ALGUEM ME AJUDAA.- Bato na porta ddesesperada.-

A porta começa a fazer barulho e eu me afasto,um cara moreno com o cabelo com dread,de olhos esbugalhados e vermelhos aparece.

- Olá cabelos de fogo.

Eu- Quem é voce?

- Não me conhece? Satisfação sou o Tocha.

Eu- Por que eu to aqui?

Tocha- Por que sua querida cunhada me deve uma boa grana,e voce é minha garantia.

Eu- Mas nem de mim ela gosta pegou a pessoa errada.

Tocha- Mas seu namorado gosta de voce e ela gosta dele,sabia que ela gostava dele mais que como um irmão? Eu tenho é dó do namorado dela.

Eu- O que eu fiz pra voce? Por que logo eu?

Tocha- Ela que pediu pra mim matar voce,mas eu vou ser bonzinho,vou só esperar eles virem me buscar.- Ele senta numa cadeira perto da porta.- Voce bebe café?

Eu- Bebo.

Tocha- Ótimo.- Ele levanta e abre a porta.- Eae Mkd4 traz 2 café pra mim e pra cabelo de fogo,se tiver aquelas rosquinhas ainda traz também.- Ele fecha a porta e senta de novo.- Tu não tem frescura não né?

Eu- Não.

Tocha- Otimo por que as rosquinhas já deve ter uns 2 dias.

Eu- Você tem certeza que eu to sequestrada?

Tocha- Hoje meu dia ta muito bom então to de boa.

Um cara bateu na porta e entregou 2 xicaras de café e um pote com rosquinhas.

Tocha- Pega ai.

As rosquinhas não estavam das melhores mas o café ate que tava gostoso sim,Tocha saiu e trancou a porta,tava um tedio danado ali,meu celular ficou na casa da Leila entao nao tinha NADA pra fazer ali. Deitei no colchão ali apaguei bonito,acordei com a claridade entrando pela janela,minhas costas tava doendo muito,a porta abre e era uma mulher.

- Ei toma tem um banheiro ali.- Ela joga uns treco no chao e sai de novo.

Levantei e vi que era uma escova de dentes velha,um restinho de pasta,um sabonete,uma toalha e uns trapo fedido e feio que ela deveria chamar de roupa,peguei e entrei no tal banheiro que tava um nojo ,escovei os dentes com o dedo mesmo,joguei uma agua no corpo me arrependi depois que vi que tava gelada,vesti a mesma roupa que tava,sou nem louca de usar a que essa mulher trouxe.

Passou uns 5 minutos e um prato foi passado por debaixo da porta,eu tava com fome então comi,deitei no colchão e apaguei de novo.

A Marrenta No Colegio InternoLeia esta história GRATUITAMENTE!