Medo de Barata|Capítulo 37

668 50 10

KATRINA

Ops! Esta imagem não segue as nossas diretrizes de conteúdo. Para continuar a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

KATRINA

Fui taxativa quando disse que não iria esperar um aval para agir. Peguei o colete prova de balas. Vesti e comecei a me munir sob o protesto de Matheus e Sam, que tudo o que fazem é dizer o quão precipitada estou sendo e arriscada essa minha atitude é.

Prefiro acreditar que é uma preocupação, do que um ato de machismo, embora eu nunca tenha tido problemas explícitos com eles com respeito ao assunto.

—Só vou dizer uma coisa: não sou mulher de fugir de caralho nenhum. Já fugi demais. Se ele quer me encontrar, vamos lá.

—Katrina, vamos montar uma operação tática. Só vou precisar de umas quatro horas para reunir meus homens—Matheus intervém.

—Matt, você sabe o quão amo você e te considero, porém só vou te dizer uma coisa: está escurecendo. E tudo que fizemos nesse fodido dia foi perder tempo, portanto, vou dar duas opções para os senhores: ou vocês me apoiam e entram comigo, ou vou sozinha.

—Katrina, nos escute. Você está embalada pelas emoções.

—Lopes, traga as maletas de armas e coletes e reúna os homens aqui agora.—ignoro o argumento de Sam.

Matt, nervoso, se ausenta da sala conversando com alguém no telefone. E eu sob o olhar acusatório de Sam faço as últimas checagens nas armas.

Quando eu digo que o inferno sou eu, não estou brincando.

Eles estão nessa situação por causa do meu dedo podre. Nada mais justo que eu resolver o problema.

—Escuta, não vou deixar você enfrentar eles assim, de peito aberto.—Matt volta a sala falando—só te peço uma hora.—olho para ele—uma hora Katrina. Temos que garantir o máximo de segurança possível.

Relutante, aceito.

—Lopes imprima esse mapa.—Sam pede balançando a cabeça.

Não é à toa que estou onde estou, juíza.

Eles perceberam que seria uma causa perdida lutar contra minha determinação.

O mapa impresso em seis partes é colocado sobre a mesa de reuniões e todos nós o encaramos.

—Teremos que ser objetivos se quisermos ganhar essa batalha.

Os homens que pedi, chegam a sala e logo em seguida a equipe do Matt também se faz presente.

Estou indo meus amores! Vou tirá-los desse inferno.

—Olha, eles estão trabalhando com esses traficantes que Katrina julgou há algum tempo. Eles comandam a zona norte. Por isso acreditamos que Henrique e as crianças podem estar lá.—Matt começa a explicar.

—Não. Henrique não está com as crianças. Ricardo não citou ele na conversa. —Interfiro.

—E ele foi visto com a ex noiva, Pietra—Sam põe a foto da piranha no telão.—e o celular dela foi rastreado nesta área aqui—ele aponta no mapa indicando uma área próxima ao aeroporto.

Treinada para não Amar_ Katrina[CONCLUÍDO]Leia esta história GRATUITAMENTE!