Capítulo Dez

970 95 80

Guilherme e Sandro não gostaram nadinha de serem alvos das risadas dos amigos.

Além do mais, Guilherme já entrara no apartamento de Luana sabendo que alguém falava dele. E não, isso não tinha nada a ver com o fato de ter visto Morgana circular de um lado a outro agarrada a um exemplar de M. M.Williams quando ele e Andressa chegaram. Tratava-se de uma sensação estranha que começou uns minutos atrás, enquanto ele brigava ferrenhamente com a prateleira de Dona Gê.

E de fato, Gui descobriu que não enlouquecera, pois falavam mesmo de sua pessoa. Ou melhor, de uma de suas pessoas, já que M. M. Williams era uma de suas identidades secretas. Na verdade, eram as suas orelhas que lhe deram o aviso, queimando tanto que ele foi lembrado de sua avó. Dona Úrsula sempre dizia que aquilo lhe acontecia quando alguém falava dela.

Maldição! O pior de tudo é ver a minha Tigresa com essa cara de culpada. O que foi que ela aprontou desta vez? Será que mandou outra foto minha quase pelado no grupo do WhatsApp para todos os amigos decidirem se devo me depilar?

Sandro, por outro lado, tinha por única preocupação o próprio ciúme. Já se acostumara a aguentar os suspiros de sua Doutora Docinho quando o arrastava para assistirem suas novelas secretas e aparecia algum "hombre caliente" – palavras de Morgana – sem camisa aqui e ali. Não muito tempo atrás, ele inclusive encontrou um perfil dela no Pinterest, e se arrependeu até o último fio de cabelo por seguir suas coleções.

Enquanto Sandro salvava imagens de monumentos históricos em suas pastas privadas, Morgana acumulava fotos de atores mexicanos seminus por todo o lado. Publicamente, ainda por cima. E agora que ele a seguia, ela achava natural insistir que Sandro deveria compartilhar seu perfil para mais pessoas, dando apoio a suas novelas para que mais delas fossem traduzidas no Brasil.

Era o cúmulo, mas a mulher lhe prometia certas regalias em troca, como dormir até o meio-dia nos finais de semana antes de usá-lo como um objeto sexual ou empurrá-lo para o fogão para fazer o almoço, então Sandro sempre acabava cedendo.

De qualquer forma, com as novelas e todos aqueles atores Sandro conseguia lidar. Agora com o fato de Morgana ficar assim toda animada e cheia de sorrisos por causa de umas ceninhas mequetrefes escritas pelo seu sobrinho? Ah, não, aí já era demais.

– E bem? Vamos falar de outra coisa que não seja esses livros pervertidos?

Guilherme lançou a Sandro um olhar mortífero. Seus livros não eram pervertidos coisa nenhuma!

– Olhem só, gente, a Andressa está vermelhinha – comentou Andreia, passando a mão numa das bochechas rosadas da irmã. – Mana, o Gui não vai se importar de você compartilhar um pouquinho das safadezas de vocês na cama.

Foi assim que mais uma porção de gargalhadas irrompeu no apartamento.

Logo a seguir, porém, Fábio partiu em defesa da sua irmã de apartamento:

– Pelo amor de Deus, a Andressa não precisa se envergonhar com algo assim. A Morgana é quem deveria ficar com a consciência pesada por chamar o Sandro de preguiçoso para o sexo matutino.

Pronto. Todo o esforço anterior de Fábio em acalmar a multidão havia ido por água abaixo. E o pior era que ele mesmo tinha contribuído para isso. Aquele seria um dos momentos em que os maiores linguarudos do grupo de amigos iriam jogar uns aos outros na fogueira.

Só faltava Elisa completar, a mais indiscreta de todas. E ela não deixou por menos:

– Nossa, Fábio, mas isso é que foi golpe baixo. Deve ser a inveja, né? Fantasiou tanto em rolar com o M. M. Williams nesses lençóis chiques que você compra que agora fica metendo o bedelho no relacionamento dos outros, ao invés de procurar um boy para você.

Meu Adorável AdvogadoWhere stories live. Discover now