Capítulo 18 - Caos Sortudo

9 2 0

— Sinto muito por aparecer do nada, Lorde Alonso — disse o homem conhecido como Caos Sortudo ao entrar na tenda. Apesar de seu tom amigável, havia algo de errado em sua voz. — Estive cuidando de certos assuntos na área quando escutei que estava perseguindo os bandidos. Após saber do ocorrido na floresta, eu precisava vir ver seu estado. Em nome da amizade que tive com seu pai.

— Não precisa se desculpar, Lorde Dale. Você é bem-vindo aqui... sempre... e eu agradeço por sua preocupação — disse Alonso. Apesar do tom polido, Tetsuko soube que ele se esforçava para não deixar transparecer o que realmente sentia. O nobre mais jovem conseguira fazer uma reverência para o homem mais velho.

Lorde Dale era, de fato, um homem que parecia mais velho do que deveria ser.

Com um cabelo branco curto, bigode que mal aparecia e uma aparência frágil, ele se parecia com um senhor de idade, apesar de ser só dez anos mais velho que Alonso.

Sua aparência faz as pessoas o subestimarem... Aposto que ninguém que o encontra pela primeira vez acredita nos rumores...

No entanto, a alma dentro da espada podia ver além daquela aparência frágil.

A energia dele... não parece ser de um humano...

Tetsuko se concentrou sem tirar os olhos do homem.

Ela teria estremecido se ainda tivesse um corpo humano.

A energia dele é muito retorcida, suja... e profunda...

Como se pudesse distorcer qualquer coisa que chegue perto o bastante...

Talvez seja essa a causa do apelido, pensou a alma dentro da espada, observando o homem o tempo todo.

Caos Sortudo tirou seu casaco de viagem. Nesse instante, um de seus soldados ofereceu para guardar as roupas.

— Obrigado — disse para seu homem antes de dispensá-lo.

— Por favor, sente-se, meu senhor — disse Alonso, indicando uma das cadeiras em volta da mesa onde os mapas estavam.

Dale mostrou um sorriso amigável e sentou.

— Obrigado, Alonso. Estive viajando por muito tempo. É bom sentar em algo além de uma sela — disse, soltando uma risada animada.

O escudeiro que estava no canto da tenda foi para frente. Apesar do nervosismo, ele serviu três copos de vinho sem derrubar uma única gota e então saiu sob a ordem silenciosa de Enrique.

Caos Sortudo aceitou sua bebida. Ele demorou-se a observar os mapas enquanto bebia.

— Então eles escaparam — disse em voz baixa, abaixando o copo, o sorriso sumiu de seu rosto enquanto olhava para o lorde mais novo.

Era difícil dizer se estava zombando ou não de Alonso.

— A batalha... foi mais difícil do que previ... Subestimei os bandidos — admitiu ele, abaixando a visão. A frustração era óbvia em sua voz.

— Não tenha vergonha, meu amigo. Não o culpo. E duvido que alguém importante irá — disse Dale, bebendo outro gole de vinho. — Os bandidos da floresta nunca deveriam ser subestimados... Mas isso já passou. O que importa agora é o próximo passo. Tem alguma pista de aonde eles vão?

O lorde e conselheiro trocaram olhares.

O que você fará, meu portador? Contará tudo ao homem que pode ser sua ruína?

Tetsuko observou o homem que a manejava lutar para fazer sua decisão.

Antes da chegada de Caos Sortudo, Alonso e Enrique discutiram sobre compartilhar o que sabiam com o outro lorde.

Re;BladeLeia esta história GRATUITAMENTE!