Capítulo 21 - Visão Diferente

761 101 39

Tudo estava acontecendo tão rápido que eu não conseguia nem pensar direito, muito menos sentir o impacto de verdade. Eu deveria estar enjoada sendo atirada para cima como uma bola de vôlei, porém naquele momento apenas conseguia ver a mistura de cores, ouvir gritos desesperados abaixo e sentir meu corpo caindo. Nada poderia me parar, tinha sido atirada do rio em direção ao meio das árvores com um golpe violento que agora reverberava em meu corpo dolorido. Foi como levar um tapa da própria água, um forte o suficiente para me atirar dali e fazer tudo estremecer.

Esperei o choque com a terra mais abaixo, eu nem conseguia gritar por uma ajuda que eu sabia que não teria, no entanto a surpresa veio quando fui amparada por um conjunto de galhos em pleno ar. Eles se entrelaçaram, formando uma pequena rede um pouco maior que meu corpo. As lascas de madeira arranharam meus braços desnudos e o pescoço, provavelmente atingira outros lugares também, mas eu não podia negar que aquilo era muito mais vantajoso do que o chão. Finalmente consegui obrigar o oxigênio a percorrer meus pulmões novamente, mesmo que meu corpo ainda estivesse em choque. Fui colocada no chão delicadamente, porém ao me erguer estava com as pernas tão moles que caí para frente, meus braços me apoiaram um segundo antes do meu rosto fazer o serviço.

Eu estava em um lugar diferente, no meio da floresta, o som das vozes dos outros me alertaram de que estavam próximos. Meu corpo e cabelo ensopados agora tinham folhas e terra para todos os lados. Levantei como pude e corri desorientada, ouvi o som da rede que me amparou se despedaçando ao atingir de vez o chão, mas nesse momento eu já havia alcançado o lugar de antes, perto do rio.

Chris estava mais à frente com a espada em mãos, encarava as águas do rio com atenção, o rosto franzido ao perceber que de repente tudo ficara tranquilo, como se não tivéssemos acabado de ser expelidos para o nada com apenas um golpe. Uma de suas mãos estava apontada em minha direção e o breve olhar que ele atirou para trás me deu a certeza de que me salvara com seu poder relacionado ao ar. Ao me ver, mudou sua postura e apontou minha mochila.

- Melhor se preparar – Ele murmurou para mim – Seja o que for, é grande e nada amigável.

Encarei o rio mais uma vez, o brilho havia sumido, mas as palavras de Christopher ecoaram na minha cabeça e a pior parte era saber que ele tinha razão.

- Onde estão os outros? – Perguntei preocupada enquanto corria para recolher nossos pertences jogados no chão – Giovanna e Julie também foram atingidas, elas estão bem?

Em resposta, Benjamin surgiu do outro lado da floresta, vinha do meio das árvores com Giovanna em sua forma de sereia nos braços. Ela arrancava como podia pedaços de folhas de seu corpo escamoso, uma expressão assustada no rosto.

- Agradeço, Christopher – Ela disse

- Por pouco Giovanna não virou um peixe esmagado, fez um bom trabalho – Benjamin completou encarando Christopher com atenção

- Peixe esmagado, sério? – Minha dama observou o rosto do líder e questionou meio ofendida ou indignada. Ele deu de ombros, não parecia estar brincando.

- Não é hora para agradecer, peguem suas armas. Não vejo uma cor muito boa emanando desse lugar – Meu corpo ficou em alerta, eu sabia que Chris usava seu dom para compreender sentimentos e pensamentos ao redor por meio de cores. Se ele dissera isso, estávamos em apuros.

Um barulho nas árvores nos alertou da presença de Caipora que sustentava Julie. A menina estava meio desorientada, tossia a todo o momento como se tivesse engolido água no processo.

- O que...cof cof... está...cof... acontecendo? – Julie perguntou cambaleando

Caipora ajeitou sua postura e respirou fundo ao ver que todos estavam bem, puxou sua lança para frente enquanto largava Julie por um instante. Ela me encarou, coincidentemente ou não, senti Chidy estremecer em meu dedo e sabia que algo bem ruim estava prestes a ser dito.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!