MD Gugik

101 15 12

Resenha e Entrevista

E N T R E V I S T A

MD Gugik (MGk008) tem 46 anos e mora em Santa Catarina. Se destacou no Concurso Nêmesis com sua obra Nahash: a epopeia, e é dona de outras historias disponíveis aqui na plataforma. Abaixo confira um pouco mais sobre ela:

P: Quem é MD Gugik?
R : Um ET.

P: O que é a escrita para você?
R: Catarse, arte, expressão, educação, cultura.

P: Uma música que todos deveriam ouvir?
R: Qualquer uma do Elvis.

P: Uma frase que te dá motivação?
R: Uma de minha autoria (risos) que usei num concurso há muito tempo, mas que define minhas convicções: Os olhos alcançam o horizonte; e a alma, o infinito...

P: Como teve a ideia de escrever seu livro e de onde tira a inspiração?
R: Nahash nasceu de minhas leituras das obras bem escritas e bem traduzidas de Zecharia Sitchin sobre a origem dos deuses sumérios que teriam colonizado a Terra.

P: Tem autor preferido aqui no wattpad?
R: Tenho alguns que admiro muito, seja pelo texto, seja pelo esforço, seja pelo exemplo positivo que passa aos seus leitores, seja pela ética.

P: Deixe uma mensagem para seus leitores.
R: As palavras tem poder, inclusive de mudar condições de vida. A primavera árabe começou pelas palavras ditas e espalhadas pela internet. As palavras não servem apenas para fazer uma pessoa brilhar nem apenas para tratar de sacanagem. As palavras estarão no mundo muito tempo depois que a gente partir dessa vida. Sendo assim, devemos cuidar delas como quem cuida de um jardim. Porque os próximos que vierem vão aprender com o exemplo que vocês lhes deixarem. Não se permitam serem fantoches num mercado editorial que vai farejar o lucro. Vocês têm poder sobre o mercado editorial por meio das palavras bem ditas e bem escritas.

P: Para finalizar, digam o porquê os leitores deveriam ler sua obra:
R: Isso só ao leitor cabe decidir. Não se pode impingir a leitura. Eu gostaria de imaginar que o leitor escolheu o meu livro porque se interessou sincera e espontaneamente pela obra. E assim, eu saberei que valeu a pena.

R E S E N H A

Se a mim tivesse sido confiada a tarefa de julgar Nahash tão somente por sua capa de temática indefinida e sinopse humilde, por certo esta resenha não estaria sendo escrita nesse momento, então devo agradecer às minhas obrigações como jurado por me oferecer a oportunidade de divulgar o que pode muito bem ser uma das gemas mais bem escondidas que já tive o prazer de ler.

A obra de MGk008 não possui a mais gloriosa das apresentações, mas logo nos primeiros parágrafos nota-se o que distingue a autora dos demais escritores do gênero: suas descrições são profundas e polidas, sem nunca se tornarem muito prolixas, os personagens passam longe de se indignificarem com qualquer tom de clichê e a história possui um ritmo compassado, satisfatório e, a despeito do gênero (que requer, por definição, um certo afastamento da realidade), crível. 

Nahash se desenvolve sob o ponto de vista de diferentes personagens em diferentes pontos do país. Inicialmente tendo por cenário os morros do Rio de Janeiro e a cruel realidade da vida de professores que lutam para ensinar em meio à pobreza, não demora até sermos transportados ao sul brasileiro, onde a polícia e um grupo de amigos se veem em meio a um mistério que envolve a queda de cometa. 

Mistério é a palavra-chave e uma constante em toda a narrativa, o que acaba se tornando um dos maiores motivos de se continuar lendo capítulo após capítulo. OVNIS, vozes enigmáticas, tons conspiratórios e uma clara inspiração nas aventuras paranormais que definiram os anos 80 (Como ET, Goonies e, mais recentemente, Stranger Things e Super 8) dão vida à Nahash e solidificam a obra como a vencedora desta edição na categoria Sci-Fi.

Resenha feita por: PietroSchumz

Resenha feita por: PietroSchumz

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.
Entrevistas & ResenhasWhere stories live. Discover now