Capitulo 3 - Confusão no meio do nada

28 2 0

        Acordei no dia seguinte com uma dor de cabeça infeliz como se tivesse ficar de ressaca, levou cerca de 2 segundos antes das imagens da noite anterior repassarem na minha mente como um filme em fast move. Não tinha certeza se tudo não passou de um sonho, mas com certeza iria tirar essa historia a limpo, e seria hoje. Para isso, infelizmente, teria que quebrar a promessa feita a mim mesma,ou seja, me aproximar de  Joe Reynalds.

Mas se isso era tão ruim, por que será que eu estava tão animada? Chacoalhei o pensamento longe antes que me aventurasse em caminhos perigosos para minha sanidade mental.

Tomei meu banho e me dirigi para a cafeteria, onde encontrei uma sorridente Britany
        - Bom dia menina bonita. 
Disse assim que cheguei a mesa.
       - Bom dia menina sorridente. 
Respondi alegremente.
- Entao Avy, vamos a uma festa na casa do Joe.- Informou-me - Que horas acabam  suas aulas?
- Meio-dia, mas Brit, sobre a festa, nao sei não... 
- Ah, nada de não sei gata, te pego assim que sair da aula e vamos juntas fazer compras e ser paparicadas, não aceito um não como resposta.
Retrucou com um beicinho e um olhar pidão que dificilmente recebia um não como resposta,  eu não seria a mortal a começar à negá-la.
-Esta bem, mas saiba que voce esta me devendo - resmunguei, fingindo estar brava quando por dentro bolava um plano para conversar com Joe a sós e obter sua atenção por tempo suficiente para que eu pudesse arrancar informações do dia anterior.  -Isso! Voce é a melhor Avy. - Falou ela batendo palmas como se tivesse ganhado um prêmio ou algo assim.- Ta, tá , falei com um falso desdem. 

                                                            *****************

Às 19:00, após ficarmos o dia inteiro em uma maratona de compras e manicure que acabou comigo usando algo que Brit me convenceu a levar, estavamos entrando no apartamento do implacavel Joe Reynald, e eu tinha que admitir, eu parecia quente com meu vestido preto de paete e um salto preto, que sinceramente sentia que se eu tropeçasse quebraria meu pescoço, mas as aulas de ginastica olimpica serviram a menos para me dar algum quilibrio em cima dessas maquinas mortais.

Brit tinha esfumaçado meus olhos, assim eles receberam um destaque brilhante combinando com o batom claro que estava usando, -Sexy como o inferno foi o nome que Brit me descreveu, ela mesma estava deslumbrante com seu vestido cor de rosa e sua maquiagem impecável, Brit parecia uma boneca linda e sexy até seu ultimo fio de cabelo. Bastarda sortuda pensei sorrindo

Ao passa pela prta notamos que a  casa já transbordava de pessoas e sem nem ter tempo de olhar ao redor Brit me puxou diretamente para a cozinha aonde as bebidasse encontravam.

Em poucos segunos estavamos enfileirando shots de Cuervo, cantando a famosa Arriba, Abajo e Adentro, viramos cerca de 3 shots cada uma ate nos daros por satisfeitas e corrermos para o som de Avicii que tocava na pista improvisada na sala.

Sempr amei dançar, fazia sozinha no meu quarto, assim, com a tequila transborando pela minha corrente sanguinea e me deixando mais solta comecei a deixar o ritmo me conduzir, elevei meus braços e balancei meus uadris na batida techno que tocava. Quando derrepente uma respiração quente soprou em meu pescoço e o aroma familiar me abraçou. Não me dei ao trabalho de abrir os olhos, continuei à dancar e me deixei ser conduzida pelas maos fortes de Joe.

- Droga Avy, voce esta tentando me matar? - Disse ao puxar uma respiração quandoresolvir me aproximar de seu corpo já bem colado ao meu.

- Porque diz isso? Não pode aguentar um pouco de provocação querido?- Sorri inocentemente mas sem sair do meu lugar

-Gatinha, isso não é um pouco de provocação, é bem mais que isso, mais par uma tonelada disso. Voce nao pode entrar aqui vestida dessa forma, dançando como um anjo sexy e não esperar que eu fique estavel, é apenas impossivel Avery - Disse com uma voz rouca que, se meus livros estavam certos, eu identifiquei como desejo.

Continuei sorrindo com a sua declaração e me desprendi de seu aperto. - Bom saber Joe, é sempre bom saber o efeito que causo no sexo oposto.- Após a declaração me dirigi ao bar rebolando mais do que necessário. Agradeci silenciosamente que externamente eu pareci calma e atrevida quando na verdade estava uma poça derretida de desejo pelo Sr Reynalds

 Senti Joe me acompanhando mesmo não me tocando, apenas para esperar que eu chegasse ao bar que estranhamente estava vazio e me aguardar servir me de uma dose de tequila para servir a si mesmo e me dar um olhar intenso e aproxima-se de mim como se fosse me beijar.

Esperei em antecipação para seu proximo movimento, mas no ultimo instante ele olhou como se acordasse de um transe, colocou o pqueno copo no balcao, se virou e saiu.

Sinceramente mais do que desapontada fiquei procupada, mas que coisa de estar ao redor de caras que simplesmente somem.

O plano sedução pareceu não dar certo, e mesmo frustrada por não ganhar aquele beijo, reforcei meu pensamento de que esse era apenas o passo um.

Tornei a me virar para a sacada que era ligado pela porta da cozinha afim de pegar um pouco de ar fresco, sentei me no pequeno banco que la estava e lhei ao horizonte. Um garoto loiro passava pelo estacionamento abaixo, quando ele derrepente parou e virou seu olhar para... mim? E sorriu mas PARA TUDOi, é o garoto do sonho.

Não pensei, apenas reagi, levantei em um impulso com a adrenalino solta no meu sitema e quando cheguei as escadas tropecei em meus propros pés.
Instintivamente fechei meus olhos esperando pela dor alucinante que com certeza me atingiria, estava la me batendo mentalmente por correr com os malditos saltos de 15 centimentros, quando finalmente notei um instante depois, que a dor que deveriar ter sentido nunca veio.

Obriguei-me à abrir meus olhos e lá estava ele.

Novamente.

Um ponto de focoLeia esta história GRATUITAMENTE!