Capítulo 7 - Sempre arrume tempo para aquilo

12 0 0
                                                  

Nossa... isso é muito... pra quem só era famoso no mundo otaku, ele com certeza anda recebendo muita atenção de fora, Seiji pensou enquanto organizava as revistas.

Todas essas revistas continham algo em comum: Yuuto.

Ou eram sessão de fotos do cosplayer travesti, ou artigos sobre ele, ou entrevistas com o professor. Seiji comprara tudo que envolvia Yuuto e guardou com o resto dos materiais que tinha.

Isso pode ser considerado stalkear? Pensou ele por um instante. Nada, está tudo bem. Só estou colecionando revistas em que meu namorado apareceu. É um acontecimento e tanto pra deixar passar batido, o pintor deixou a ideia para lá com um acenar de cabeça.

Após organizar a estante, Seiji cedeu à vontade de pegar uma das revistas. Não importa quantas vezes lesse, o artigo ainda fazia um sorriso brotar nele. Caramba, Yuuto... como você consegue dizer tantas coisas embaraçosas com um rosto desses?

Apesar de já ter decorado o texto, Seiji corou enquanto relia o artigo, parando em sua parte favorita.

S-Sim... aquele homem que fez cosplay comigo na foto é meu n-namorado, disse Yuuto para um dos entrevistadores.

Estamos juntos há meses e ainda e-estamos apaixonados um pelo outro... na verdade, é graças ao cosplay que nos conhecemos. Ele é um pintor e, quando ficou sabendo da minha situação, ele... ele fez pinturas de mim... de várias formas diferentes... ele costumava me chamar muito de sua musa... ele sabia que me deixava com vergonha...

Graças aos deuses pelos instintos do fotógrafo de incluir a foto, pensou Seiji, sorrindo. Quando Yuuto disse aquilo durante a entrevista, o fotógrafo tirou uma foto perfeita do momento exato. O professor estava com muita vergonha. Era óbvio pela cor de suas maçãs do rosto. Mas o grande sorriso nos lábios era lindo demais.

É uma foto perfeita... mas eu queria que só eu soubesse desse lado dele, pensou Seiji, sabendo que estava sendo egoísta.

Mas, não importa o quanto aqueles sentimentos de ciúmes ou infantilidade sentisse, o pintor estava verdadeiramente feliz por Yuuto e todas as oportunidades que se abriam para ele. Toda a atenção que ele vem ganhando é incrível. Ele merece tudo isso e muito mais, dado todo o esforço que coloca no cosplay. Quero que o mundo veja o quão arretado meu namorado é.

Ainda assim, não podia ignorar as partes ruins da atenção que Yuuto recebia. Ele está atrasado, pensou o pintor quando conferiu a hora no computador. Logo em seguida, pegou seu celular do bolso. E nem ligou ou mandou uma mensagem...

Ele está dando tudo de si. Se esforçando muito. Cosplay faz parte dele, ele disse para si mesmo, tentando ignorar como se sentia esquecido.

Sem nada melhor para fazer, Seiji continuou relendo o artigo.

Até escutar a porta de seu apartamento abrir.

— Yuuto! — exclamou Seiji, feliz demais ao ver o namorado.

— Oi, Seiji — disse Yuuto antes de soltar um grande bocejo.

O professor fechou os olhos antes de dar um selinho no namorado. Então, com o rosto sonolento, ele sentou na entrada e lutou para desfazer os cadarços.

Após finalmente conseguir tirar os sapatos, ele se levantou e quase tropeçou na entrada. Só não caiu porque Seiji estava lá para segurá-lo.

— Valeu — disse Yuuto, esfregando os olhos. Foi só então que ele realmente olhou para o namorado. — Por que você está todo vestido?

Por favor me chame de Professor!!Onde as histórias ganham vida. Descobre agora