Capítulo 22

8.5K 1K 612

Dizem que os olhos são as janelas da alma e que, se você olhar profundamente dentro dos seus olhos, pode ver a sinceridade das pessoas. Eles dizem que para ver outro coração, os olhos são o lugar por onde começar. Dizem que através dessas janelas a verdade sobre uma pessoa é exposta, não importa o que sua aparência exterior demonstra.

O homem que estava na porta do quarto de Louis, parecia ser nada mais do que um médico jovem. Mas olhando em seus olhos, uma historia diferente poderia ser dita. Seus olhos se abriram e as verdades sobre como este homem realmente era: frio, com ódio, e do mal.

Harry sentiu o homem usando os olhos como se fossem armas; uma onda de perigo rondava através de todo o seu ser. Sentiu-se tomar em nervos, sua respiração trêmula quando olhou em seus olhos; dizendo ao homem que ele não iria recuar ou se esconder por medo.

“Estou interrompendo alguma coisa?” O homem perguntou, sua voz cheia de ódio e seu olhos ainda disparando perigo na direção de Harry.

O menino de cabelos encaracolados podia sentir o tremor percorrer o corpo de Louis, sacudindo-o ligeiramente na cama. Ele estava com medo deste homem.

Não se preocupe Lou, eu não vou deixar ele te machucar mais.

Harry estreitou os olhos de volta para o homem. “Na verdade, você está.”

As sobrancelhas do homem se levantaram, e ele deu um passo adiante. “Sério?”

“S-sim.” Harry murmurou, amaldiçoando-se mentalmente pela gagueira e ligeiro tremor em sua voz.

Outro passo foi dado em direção à cama que segurava os dois adolescentes.

 “Então o que eu interrompi? Porque com certeza não me parece que vocês estavam fazendo nenhum trabalho escolar importante.”

Harry engoliu seco nervosamente. Este era exatamente o que ele estava temendo momentos antes do homem invadir o quarto.

“Nós... nós estávamos conversando,” Harry tentou explicar. “Nós vamos começar a fazer a lição de casa agora.”

O homem claramente não gostou da resposta que Harry lhe deu. Ele tomou mais um par de passos até a cama, e Harry podia ver seu punho se fechando. Harry estava prestes a abrir a boca para dizer alguma coisa, qualquer coisa para que esse homem os deixassem sozinhos, mas antes que fizesse, uma pequena voz se soltou.

“Jason, por favor, nós estávamos apenas conversando.”

O homem, Jason, tirou os olhos de Harry e agora estava olhando para Louis; seu olhar ainda mais gelado do que antes.

“Eu acho que eu sei exatamente o que estavam fazendo, e eu não acredito muito que falar estava envolvido.”

Harry estava perplexo.

O que exatamente ele acha que estávamos fazendo?

“N-não”, Louis gaguejou, sua voz cheia de medo. “Eu juro que nós estávamos conversando, nada mais.”

Jason olhou para Louis por um longo momento. O quarto foi morto em silencio e Harry estava com medo de que os outros pudessem ser capazes de ouvir o seu coração batendo tão forte, que soava como um tambor em seus próprios ouvidos. Ele não sabia se devia dizer alguma coisa; ele nem sequer sabia para onde ou para quem devia olhar.

Finalmente, depois do que pareceu uma eternidade, o homem deu a Louis algum tipo de olhar que fez com que o outro menino acenasse com a cabeça, e foi embora, batendo a porta atrás de si.

Harry deixou escapar o fôlego de ar que estava segurando e deixou o alivio encher seu corpo, antes de virar para olhar para Louis.

“Lou,” disse ele calmamente. “O que aconteceu?”

More Than Meets The EyeWhere stories live. Discover now