CAPÍTULO 10

387 35 0

Depois de minha conversa contubarda com Mayson resolvo ir a pessoa que poderia me ajudar a resolver tudo isso. Sou a princesa e sinto que preciso proteger as pessoas pela qual estou aqui. Não me refiro só a meus pais, mas a todos. Toda a população das Ilhas do Sul.

Ao sair do jardim vou direto para a sala de estar. Ela fica ao lado da sala de jantar e acredito que seja maior ainda.

Entro e a rainha esta sentada em uma das poltronas com um livro nas mãos, concentrada em seja lá o que ela estiver lendo.

Me sento ao seu lado e com um sorriso maravilhosamente gentil ela começa:

- Harley, precisava mesmo de uma companhia para o chá. Pegue. - ela diz apontando para a xicará na mesinha á sua frente.

- Obrigada, mas hoje eu dispenso. - como se eu já tivesse tomado chá alguma vez com ela.

- Está tudo bem? - ela me olha tirando os óculos rosé dos olhos.

- Ah... não - começo, preciso falar o motivo de ter vindo aqui. Logo, sem enrolação - por que tudo isso? Tudo que está acontecendo, por algum motivo sinto ser culpa minha.

- Ah querida - a rainha tem um olhar sereno, traz uma grande calmaria para qualquer um que olhar - não diga isso. Olha - ela se vira para mim - você está fazendo um ótimo trabalho se preocupando dessa forma, isso só prova o quanto você é perfeita para o cargo.

Olho para ela ainda insegura.

- Se eu fosse embora, acha que isso acabaria? - ela fica séria. Mas não deixa de lado o olhar leve e perfeito que só ela pode mostrar.

- Harley, tire isso de sua cabeça. Esse castelo é completamente seguro. E você tem um dever como princesa do país a cumprir, não acha? Não pode simplesmente jogar tudo para o ar antes mesmo de começar.

Nisso ela tinha razão. Mas o motivo de tudo isso eu ainda não entendo. Eu não estava ali nem a dois dias direito e uma guerra já estava querendo se estourar a minha volta.

- Entende que isso tudo está acontecendo porque eu estou aqui não é? Tudo!

- Querida, não se culpe, essas pessoas só pensam em si mesmas. Nunca, jamais, pense que alguma coisa é culpa sua se ela é causada por pessoas egoistas, que não pensam em seu próximo e sim em só proteger a própria cabeça.

Por mais incrível que possa parecer, aquilo me acalmou de verdade, mas mesmo assim ainda estava preocupada. A rainha me abraçou e eu sinto como se abraçasse minha mãe.

E como sentia falta de minha mãe. Não conversamos desde o dia que saí de casa. Acho que em parte porque eu só não quero mesmo conversar, o que fizeram realmente me machucou, foi um segredo grande demais para mim.

Mas estava na hora de mudar isso, falaria com eles o mais rápido possível. Meus pais são meus maiores tesouros. Não podia simplesmente jogar fora só por isso, mesmo que o motivo seja grande.

- Pensa nisso, está bem?

Ela se levanta e saí da sala.

Saio de lá e vou para o quarto. Entrando, me deito na cama. Mil e uma coisas passam por minha mente. Coisas que posso ou não fazer. Não quero ficar aqui, mas estranhamente também não quero ir embora. Acho que mais que com a família real eu fiz um elo comigo mesma. O elo de não abandonar ou deixar de lado quem eu realmente sou. Princesa Harley Salvatora, das Ilhas do Sul.

Adormeço deitada na cama com meus pensamentos e por mais que eu queira não consigo os deixar, não consigo deixar o que eu me forço a ser. Ou o que eu devo definitivamente ser.

CONTINUA...

Uma Coroa em Minha Vida    [CONCLUÍDO]Onde as histórias ganham vida. Descobre agora