Vida diária 2

22 1 3
                                                  

Seiji parecia uma fera.

Não. Ele era uma fera. Uma fera faminta desejando o corpo de Yuuto.

Eles mal começaram a se beijar, mas o artista mostrara tamanha paixão que o professor perdia a mente.

Seiji beijou Yuuto em todos os lugares. E cada beijo fazia a cabeça do cosplayer ficar cheia de prazer.

Seiji já estava ereto. Sem aviso, ele rasgou a camisa de Yuuto, as calças, a cueca. No instante seguinte, ele virou o professor e o fez se inclinar.

Com a respiração rápida e curta, um sorriso selvagem estampado no rosto, Yuuto ergueu os quadris.

Então ele e Seiji se tornaram um.

Quando o artista estava dentro dele, ele moveu os quadris, indo para frente e para trás com um vigor que Yuuto raramente via no quase recluso artista.

O que deu nele hoje? Quis saber o cosplayer. Não que ele desgostasse daquilo. Pelo contrário. Sempre que o namorado o surpreendia assim, ele mal podia caminhar no dia seguinte.

Yuuto pressionou os lábios e tentou pensar em qualquer outra coisa além do homem que amava o penetrando por trás. Como seu membro estava duro e chegando ao limite, ele queria que aquele momento durasse por muito tempo.

Mas, não importa o quanto tentasse, sua mente sempre ia para Seiji.

O corpo suado de Seiji enfiando nele. O olhar selvagem de Seiji sempre que faziam amor.

Eu amo esse homem!

Enquanto Yuuto tentava se esforçar para prolongar o prazer, ele sentiu o sêmen de Seiji dentro dele. Aquilo pareceu ser o gatilho. No instante em que sentiu o líquido, não conseguiu conter seu próprio sêmen de sair.

Gozamos ao mesmo tempo, pensou o professor, sorrindo. Ele amava quando aquilo acontecia. Não é só nosso amor, mas nossos corpos também estão conectados...

Mas, apesar de sua expressão e da familiar perda de força em seus membros debaixo, ele queria mais. Muito mais. Yuuto queria tudo que seu namorado pudesse dar a ele.

Quando ele se virou para sentar em cima de Seiji, o artista desaparecera.

Mas, antes que pudesse olhar em volta ou ao menos se preocupar, outro Seiji surgiu.

Já pelado e com a mesma expressão bestial do primeiro.

Sob aquela expressão cheia de luxúria e desejo, Yuuto não conseguiu conter sua própria excitação.

O novo Seiji caminhou até ele e selou os lábios do professor com os seus.

Mas não foi um beijo qualquer. Foi um beijo apaixonado. Um daqueles que fazia o membro de Seiji ficar tão duro que cutucava o professor.

Não havia necessidade de palavras. Eles só precisavam deixar seus sentimentos e corpos mostrarem o quanto se amavam.

Sem aviso, o novo Seiji virou Yuuto e o empurrou contra o chão. Ele ergueu a cintura do professor, afastou as nádegas e colocou seu membro entre elas.

Yuuto mal conseguiu conter os gemidos. Mas, enquanto Seiji se movia para dentro e fora, ele sentiu o membro com seus músculos. O professor não podia mais conter sua voz.

— Mais! — gritou após o gemido. — Mais forte!

Sem dizer nada, Seiji obedeceu.

Yuuto podia sentir o membro tocando em seu ponto de prazer. Sentiu enquanto o membro o penetrava.

Por favor me chame de Professor!!Onde as histórias ganham vida. Descobre agora