Cap 100- Eu pensei,vou tirar.

4.2K 284 53

Bruna~

Chamei um uber e por sorte tinha um aqui perto, desci correndo e entrei no carro do uber,paguei mais 10 reais pro cara ir mais rapido.

Eu- Droga,droga, droga.- Digo olhando a hora.- Nao vai dar tempo.

Assim que o homem para dou o dinheiro e corro pra dentro do tal shopping.

Eu- Moça com licença,você sabe onde fica a praça?

Moça- No segundo andar,perto da loja da Bad Cat.

Eu- Obrigada.

Eu sai correndo igual uma retardada para a escada rolante,subi ela correndo e fui preocupar a tal praça,assim que cheguei na bendita praça nao vi nem sinal do Lukas.

Eu- Mas que droga.

Comecei a andar para o lado contrario de onde eu vim,meu olhos estavam marejados de mais para eu enchergar direito,eu apenas sentia minhas lagrimas descerem e observava elas cairem no chão,sinto meu corpo se trombar com alguem e eu caio sentada no meio do shoppig.

Eu- Ta cego porra.

- Voce que esbarrou em mim idiota.

Eu- Cego do caralho.- Me levanto limpando a perna.- Lukas?!

Lukas- Bruna?!

Eu- Lukas eu não vou te deixar aqui, se eu for pro Mato Grosso voce vai comigo Lukas,tu é chatinho mas eu nao consigo mais ficar sem voce mais.

Lukas- Eu pensei que você nao iria vim.- Ele me abraça forte.

Eu- Vamo no Bk?

Lukas- Pode ser.- Eu sai pulando na frente.- Bruna sua bunda ta toda suja.

Eu- Onde? Limpa ae.

Lukas- Aqui pô.- Ele passou a mão limpando.

Eu- Obrigada.

Depois que comemos no Bk fomos pra casa.

Lukas- Bruh amanhã você vai passar o natal comigo ok?

Eu- To afim nao.

Lukas- Vai Bruh,vai ser legal.

Eu- Tabom.

Jay~

Lava minha boca depois de ter vomitado de novo,eu estava mal mas não queria ir no medico.

Bira- Ainda vomitando Jay?

Eu- Acho que...- Vomito de novo.

Let- Miga vamo no hospital.

Eu- Nao Letícia.- Lavo minha boca.- Eu to bem,vou tomar um remédio.

Eu saio do banheiro e desco as escadas,vou pra cozinha e pego um copo,minha mão tremia mais que tudo, me apoio na mesa e sinto tudo ficar embaçado,escuto o barulho do copo cair no chao e se quebrar,meu corpo vai pra tras com tudo e eu sinto um par de mãos me segurando e escuto gritos, fecho meus olhos sentindo meu corpo leve.

A Marrenta No Colegio InternoLeia esta história GRATUITAMENTE!