Massagem|Capítulo 27

767 56 4

"Deixe nada para amanhã, porque amanhã pode nem chegar"

Não sei o porquê, mas acordei com essa frase na cabeça. Certamente deve ser pela sensação de culpa da minha procrastinação em falar com Henrique causada pelo ciúme de o ver com a loira.

Claro que eu poderia falar o que eu estava sentindo, porém, meu orgulho não deixou. Sabe aquele lado rabugento que temos que é irredutível? Pois é, o meu fala alto.

Decidi deixar qualquer assunto sobre Ricardo em stand by. Mas isso não quer dizer que eu tenha esquecido só decidi cuidar da minha prioridade: meu coração.

E esse clama por Henrique.

Tomo um rápido café repassando tudo que irei fazer. Quando estudo as possibilidades de sucesso e vejo que elas superam cinquenta por cento, vou em busca de meu objetivo.

Torno bater à porta do homem que me tira do sério, mas não obtenho respostas.

Estou passando a acreditar que ele está fazendo isso de pirraça

Torno fazer outra tentativa, e meu coração dispara. Henrique aparece somente de box preta, cabelos totalmente bagunçados, e olhos estreitos denunciando que estava dormindo.

O sentimento de culpa por tê-lo acordado por segundos se faz presente, mas eu disperso entrando em seu apartamento sem que ele "oficialize" o convite.

Ele fecha a porta e se joga no sofá me encarando, enquanto ando impaciente de um lado para outro na sala que parece ter encurtado de tamanho.

Nunca em toda a minha existência fiquei tão nervosa.

-Não gosto de que me pressionem-começo falar sentindo todos meus órgãos mudar de posição. -Sou impulsiva, teimosa, insegura... Mas é você que me deixa assim, caramba! Desde do dia que vi todas aquelas meninas com fogo na saia com sua chegada que eu mudei. Você me mudou. -Respiro-Eu sinto ciúmes de você, morro de saudades, tudo isso porque eu amo você, de um jeito torto e desconhecido, mas amo. Amar tem que confiar e confio em você. Só que há coisas que não estou preparada ainda para contar, para expor. -Sinto uma solitária escapar pela minha face.

Henrique simplesmente me puxou pelo braço e nos aconchegou naquele sofá

Nos beijamos lentamente.

Um acolhendo o outro dentro de si, a língua de Henrique não estava atrevida como de costume, ele somente estava ali, me acolhendo. Quente e úmida.

Seus braços circulam meu corpo com mais intensidade, prendendo-me ao seu corpo quase desnudo. Não houve cerimônia de sua parte em mostrar sua excitação, comigo presa entre suas pernas, Henrique aprofundou o beijo.

Há paixão entre nós. Ele me despiu de corpo e alma, a cada peça de roupa que ele tirava minha, um pedaço de minha alma era exposta.

-Te amo tanto. -ele disse levando a boca para meu pescoço.

Ele caminhou com os lábios de meu pescoço, até chegar em meu colo. Meus seios doloridos de prazer, ansiava por esse momento.

Joguei a cabeça pra trás dando-lhe espaço.

-Estava com saudades me mim, Meritíssima? -Perguntou-me enquanto sugava meu mamilo.

-Deus...-arfei-como eu senti e sinto.-puxo sua cabeça com as mãos sem me importar em atrapalhar suas carícias, entrelaçando nossas línguas.

Henrique procurou dar atenção a cada pedaço de mim que ansiava por ele. Cada ponto sensível. Desceu até o lugar que mais sentia saudades e sorriu

Treinada para não Amar_ Katrina[CONCLUÍDO]Leia esta história GRATUITAMENTE!