Cap 93- Eu sei que sou lindo.

4.9K 320 13

Gu~

Eu estava me arrumando para andar de cavalo com o seu Tiao,eu realmente nao sabia o que esperar de como seria passar um tempo com a familia da My. Podia se dizer que eu estava um pouco assustado com isso,mas eu estava aqui pela My pois por mim continuariamos na "nossa" casa que estavamos antes.

Tinhamos acabado de voltar de uma briga por causa da familia dela,e agora fomos passar alguns dias na casa dos avos dela numa fazenda a 9 horas de casa,isso é coisa de mais pra mim.

Ok eu não conheço obviamente ninguem da minha família e isso era chato,desde pequeno sempre fomos apenas nois 4 agora depois de quase 19 anos em que eu moro naquela casa,minha mãe decide ter um filho e sumir com ele pra França sem mais nem menos,isso é muito estranho.

1- Por que logo a França? Não poderia criar essa criança onde eu e minha irma fomos criados?

2- Desde quando meus pais falam Francês? Por que nunca me falaram isso? Por que nunca nos levaram para França?

3- E o resto de nossa família? Por que só conheço minha madrinha Genilda? Cade meus avós?

4- 3 anos longe? Não é muito tempo? Vamos ficar sem conhecer nosso irmão por 3 anos?

5- Onde foi parar minha madrinha? Por que ela sumiu?

Isso não sai da minha cabeça,eu não consigo esquecer que minha madrinha me abandonou,e agora com a madrinha da My na casa dela,a gente vizitando os avós dela,ai sim que eu lembro que eu não tenho familia nenhuma para visitar ou contar.

Meu suposto pai mora muito longe e nunca preocupou nenhum de nós.

Sou tirado dos meus pensamentos com a voz da My me chamando.

My- Porra Gustavo responde.- Ela diz histérica.

Eu- Que?

My- Vovô ta chamando pra andarmos de cavalo.

Eu- Ja to indo.- Passei a mão no rosto.

My- O que foi amor?- Sentou do meu lado na cama.- Não quer ir? Tudo bem vovô nao vai ligar.

Eu nao poderia contar que esse lance da familia dela me incomodava, ela estava fiz por voltar a ver a familia,seria muito egoísmo meu.

Eu- Não é nada amor,eu só to cansado.- Suspiro me jogando de costas na cama.

My- Tem certeza? Pode me contar o que quiser.- Ela senta na minha barriga e faz carinho no meu rosto.

Eu- Tenho,ta tudo bem.- Dou um sorrisinho.

My- Então vamos.- Ela levanta empolgada.

Eu levantei e segurei sua mão, fomos até a cozinha onde seu Tião e dona Nete estavam.

Assim que nos viram sorriram e foram andando ate o lado de fora da casa e iamos os seguindo atrás, vi os cavalos de longe e My logo sorriu apertando mais minha mão.

Seu Tiao- Bem,chegamos.

Dona Nete- Venham vou mostrar para voces os cavalos.

A Marrenta No Colegio InternoLeia esta história GRATUITAMENTE!