⚠ Seventy-Four ⚠

9K 1.1K 512

Boa Leitura!

“Para mim o seu abraço é o que todos chamam de paraíso, e você é o que entendo por felicidade!”

Jungkook P.O.V's

     Acordei sentindo um vento frio invadindo o chalé, eram pouco mais de quatro da manhã, Jimin não estava a o meu lado e aquilo me preocupou, me sentia culpado pela pequena discussão na tarde anterior, ele ficou com ciúmes de uma turista na praia, mas como me encontrava distraído fotografando as paisagens e até mesmo ele, ignorei seu pedido para voltarmos para nosso chalé. Percebi a idiotice que fiz, quando me dei conta de que acabei ficando sozinho no local. Meu ômega me ignorou desde então, dando o troco após me encher de xingamentos dentro do quarto, mas eu mereci, fui idiota por estar deslumbrado com as paisagens paradisíacas, e não ter lhe dado a atenção, tirando o foco real do motivo de estarmos ali.

     O pior de tudo, que a discussão ocorreu justo no último dia da lua-de-mel, o que estava sendo perfeito até então, pareceu ir por água abaixo devido a minha total falta de percepção. Já estava me acostumando às suas trocas de humor, a sensibilidade que seu corpo se encontrava, o ômega passou a derramar lágrimas, se eu apenas erguesse um pouco o tom de voz, ou falasse mais sério por alguns instantes. Me sentei sobre a cama, percebendo que nem mesmo dentro do quarto ele se encontrava. Meu peito palpitava em uma angustia estranha, uma tristeza como se ele estivesse magoado, o que possivelmente é a maior verdade.

     Me sentia dependente de seu abraço, sua pele para me aquecer na última noite de nosso descanso, precisava de sua presença ao meu lado da cama, mas meu baixinho sensível não estava ali. Me levantei e caminhei a passos leves até a varanda na parte de trás do chalé, um imenso espaço em madeira suspenso sobre o mar. O clima estava mais fresco que o normal, um pouco frio eu diria, apesar de o céu estar limpo de nuvens. Meu ômega estava deitado em uma das espreguiçadeiras, o corpo encolhido pelo frio, e os soluços presentes ali, apesar de estar dormindo. Orgulhoso, em meio a tantos sentimentos no meio de tudo, o mais novo aprendeu a ser orgulhoso, preferiu vir para o lado de fora, para que eu não escutasse suas lágrimas, do que conversarmos e nos entendermos.

     Meu coração se apertou ao vê-lo daquela forma. Possivelmente chorou por um longo período, até adormecer ouvindo o barulho das ondas. Peguei um dos cobertores sobre a cama, e caminhei até onde ele estava, o enrolando ali em seguida. Jimin se mexeu levemente, mas não acordou. Me sentei na outra espreguiçadeira, e o puxei para meu colo, sentindo uma de suas mãos descansar em meu peitoral, e seu rosto na curva de meu pescoço. Aproveitei para acariciar suas bochechas, me sentindo horrível ao ver as marcas já secas das lágrimas, seus lábios inchados e avermelhados, e a respiração um pouco falha. Lhe dei um selinho rápido, o apertando contra meu peito, com cuidado para não acertar um local que machuque nosso bebê.

     -Jiminnie! -Sussurrei na tentativa de acordá-lo. -Amor, me desculpa. Eu deveria ter deixado a câmera de lado. -Comecei a dizer quando ele despertava aos poucos. -Não deveria ter ignorado você, por conta disso acabamos discutindo em plena lua-de-mel. Me perdoa, Bebê!

     -Jungkookie! -Ele murmurou me abraçando apertado, parecia ter acabado de se livrar de um sonho ruim. -Você está aqui. Não meu deixou. Desculpa, Kookie!

     -Ei, se acalma. -Afastei seu rosto, secando suas lágrimas, constatando que era mesmo um pesadelo. -Não vou há lugar algum sem você.

     -Você estava com as malas. A aliança, ela estava no chão do quarto, assim como eu... -Ele ainda aparecia desesperado, então juntei nossos lábios.

     Deslizei uma das mãos para a parte posterior de seu pescoço, o puxando ainda mais em minha direção, sentindo seu coração se acalmar, até o ritmo que nosso beijo seguia, lento, doce e apaixonado. Minha outra mão em sua cintura, enquanto as suas estavam apoiadas em meio peito. É comprovado que os beijos após um tempo separados são mesmo os melhores. Encerrei o beijo com vários selares em seu rosto, sentindo meu ômega bem mais calmo, mas ainda sim me encarando confuso. Segurei seu rosto com uma das mãos, e a outra, a que está minha aliança, segurei a dele, erguendo ambas até a altura de seus olhos.

Sweet Poison ⚠ Jikook ABO ⚠Leia esta história GRATUITAMENTE!